​Testes rápidos obrigatórios para passageiros que partam de São Nicolau

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,26 jul 2020 10:02

Os passageiros oriundos de São Nicolau passam a ser submetidos a teste rápido para detecção da COVID-19. Decisão tomada, na última semana, durante a reunião do Gabinete de Crise, e anunciada este sábado pelo Primeiro-ministro, que iniciou uma visita à ilha.

“Nós decidimos introduzir testes rápidos para pessoas que viajam de São Nicolau para outras ilhas. À semelhança do que está a acontecer no Sal e Santiago, estes testes rápidos são para prevenção, primeiro, da própria pessoa, depois relativamente às pessoas com as quais esse viajante poderá contactar, quer no transporte, quer no destino da sua viagem”, anuncia.

O chefe do Governo garante que as duas delegacias de saúde na ilha estarão preparadas para realizar testes rápidos. Quanto aos testes PCR, que confirmam efectivamente se as pessoas estão ou não infectadas, serão realizados em laboratórios nas ilhas do Sal, em São Vicente ou em Santiago.

“E queremos que seja através de um processo cuja resposta seja o mais rápido possível”, diz.

O Primeiro-ministro assegura que a ilha já foi reforçada com recurso humanos, nomeadamente através de um contingente militar, da presença da Protecção Civil, da IGAE, além do reforço da fiscalização por parte das duas câmaras municipais. Também garante que os meios materiais estão a ser reforçados.

“Creio que estão criadas todas as condições para darmos um bom combate e reduzirmos de uma forma significativa ou mesmo eliminarmos casos de transmissão aqui na ilha de São Nicolau”, acredita.

Um dos objectivos, de acordo com o chefe do executivo, é baixar o nível de transmissão comunitária da COVID-19 em São Nicolau. Neste sentido vai ser reforçada a coordenação e articulação entre as forças de segurança, protecção civil e serviços de saúde para intensificar a comunicação, sensibilização e fiscalização. Correia e Silva afirma que a população de São Nicolau é cumpridora e respeitadora das normas das autoridades, o que pode facilitar o trabalho.

“Verifica-se que já há uma certa propensão para o uso de máscaras, agora é preciso fazer o distanciamento efectivo, evitar festas, ajuntamentos, porque quanto em menos tempo fizermos o máximo de pressão, mais facilmente sairemos destas restrições. É necessário que todos cumpram”, refere.

Até então apenas os passageiros que queiram sair das ilhas de Santiago e Sal são obrigados a apresentarem um teste negativo para a doença. No diz 17 deste mês, o delegado de saúde de São Vicente, Elísio Silva, alertou para a possibilidade de transmissão comunitária da COVID-19 na ilha do Porto Grande, caso não forem exigidos testes aos passageiros com origem em São Nicolau, ilha com um total de 42 casos, todos em Ribeira Brava.

O país contabiliza 871 casos ativos, 1363 doentes recuperados, 22 óbitos e 2 transferidos para os seus países, perfazendo um total de 2258 casos positivos acumulados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,26 jul 2020 10:02

Editado porFretson Rocha  em  18 set 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.