Crianças com necessidades educativas especiais internadas no HAN vão receber professores

PorSheilla Ribeiro,9 set 2021 15:46

Os professores da delegação escolar da Praia vão poder acompanhar e aplicar as provas às crianças com necessidades educativas especiais que estão internadas por um longo período no Hospital Agostinho Neto (HAN), para que as mesmas não percam o ano lectivo.

Acompanhar estas crianças torna-se possível graças a um protocolo assinado hoje entre o HAN e a delegação escolar da Praia, com o objectivo contribuir para o aprofundamento das relações institucionais e contribuir para a promoção da Educação Inclusiva através de atendimento, gratuito e especializado às crianças e jovens com necessidades Educativas Especiais.

“Para as crianças que estão internadas por um longo período, com este protocolo vamos poder levar professores para acompanhá-los e aplicar as provas para que as mesmas não percam o ano lectivo na sequência do internamento”, disse o delegado Adriano Moreno.

O protocolo vai também possibilitar essas crianças terem acesso às consultas de especialidades de forma mais rápida e sem pagar qualquer taxa a que estariam sujeitas. Com o diagnóstico de especialistas, explicou, as equipas multidisciplinares das duas salas de recurso, poderão fazer um trabalho mais direccionado. 

Por sua vez, o PCA do HAN informou que o hospital já tem identificado a equipa que está a acompanhar mais de três centenas de crianças e que por esta razão o conselho de administração entendeu ser oportuno também fazer parte desta equipa assinando o referido protocolo.

Imadoeno Cabral garantiu que o HAN irá criar todas as condições necessárias, inclusive uma sala especializada para que os professores possam ter acesso às crianças com necessidades educativas especiais internadas nos serviços daquele centro.

“Queremos garantir uma gestão cada vez mais eficiente, eficaz e efectiva para todos, sobretudo às pessoas com necessidades especiais, a questão que tem a ver com assistência de qualidade; mas também não deixar para trás a questão do ensino e a investigação científica”, frisou, acrescentando que a equipa do HAN estará sempre disponível para apoiar e abraçar a causa e fazer com que as crianças tenham um acesso equitativo, de qualidade aos serviços hospitalares.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,9 set 2021 15:46

Editado porSheilla Ribeiro  em  25 set 2021 23:20

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.