​“A pandemia fez-nos reconhecer que temos que mudar a forma de investigar, dar aulas e transferir à sociedade” - reitora ULL

PorNuno Andrade Ferreira,17 nov 2021 13:56

Rosa María Aguilar Chinea
Rosa María Aguilar Chinea(Universidade de La Laguna)

A pandemia acelerou mudanças na Universidade de La Laguna (ULL), definindo um novo modelo de docência, investigação e transferência de conhecimento para a sociedade. Promotora do Campus África desde a primeira edição, em 2014, a ULL foi forçada a adaptar-se às circunstâncias impostas pela emergência sanitária, resultante da pandemia de covid-19.

Uma oportunidade no caminho da sustentabilidade, revela a reitora, Rosa María Aguilar Chinea.

“Basicamente, a pandemia fez-nos acelerar o que queríamos fazer. Estamos convencidos que temos que mudar os nossos hábitos”, refere

“A Universidade de La Laguna tem que continuar a fazer aquilo que vinha fazendo, que é dar aulas, investigação e transferência da investigação. Tem que fazê-lo como sempre, mas de uma forma diferente”, complementa.

A primeira mudança aconteceu na sala de aula, com uma maior aposta no sistema de tutoria, ao invés das tradicionais aulas magnas.

“Estamos a trabalhar para assegurar que as aulas se centram no aluno, desenvolvendo projectos que contribuam para a sociedade. Estamos a ajudar a sociedade ao mesmo tempo que aprendemos e o professor é um tutor”, explica.

Convencida de que a universidade não pode ficar dentro dos seus muros, Rosa Maria Aguilar quer que a academia pergunte à sociedade quais são os seus problemas.

“A universidade não é apenas um muro que gera conhecimento, mas que gera conhecimento e o entrega à sociedade”, destaca.

A reitora da ULL com os participantes do Campus África 2021
A reitora da ULL com os participantes do Campus África 2021

Cooperação

A internacionalização está desde há muito na rota da ULL. Cabo Verde faz parte dos países com os quais a instituição mantém relações. O Campus África é o corolário dessa parceria, mas existem outros projectos em curso.

Com a Universidade de Cabo Verde foi lançada uma especialização em energias renováveis e descarbonização, que poderá dar acesso a um mestrado na mesma área.

“Quando realizamos campus como o Campus África, queremos conectarmo-nos com outras sociedades, outras culturas, para que, juntos, sejamos capazes de resolver os desafios do planeta, que são muitos”, comenta a reitora da ULL.

“O Campus África aproxima-nos do continente africano. Queremos trabalhar para que o conhecimento sirva para melhorar o nível de vida de todas as comunidades”, conclui Rosa María Aguilar Chinea.

O Campus África 2021 decorre até 4 de Dezembro, em La Laguna, Tenerife, subordinado ao tema “desafios climáticos e pandémicos num contexto de crise global”. Ao longo das três semanas, 55 bolseiros, a maior parte dos quais cabo-verdianos, frequentarão conferências e terão a oportunidade de aprimorar conhecimentos nos laboratórios da ULL. A primeira edição do evento científico remonta a 2014. Seguiram-se as edições de 2016 e 2018.

Fundada em 1792, a Universidade de La Laguna é a mais antiga instituição de ensino superior das Canárias, frequentada por mais de 23 mil estudantes. 

O Expresso das Ilhas está em Tenerife a convite do Campus África.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Nuno Andrade Ferreira,17 nov 2021 13:56

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  1 dez 2021 13:19

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.