“Confiança”, “inclusão” e “impacto social”. Três caminhos para o futuro da Uni-CV

PorNuno Andrade Ferreira,9 jan 2022 8:40

1

Três candidatos disputam o mais importante cargo da maior universidade pública do país. Eleições agendadas para 19 de Janeiro.

Num marco importante na sua história, a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) realiza este mês eleições para o cargo de reitor. O sucessor de Judite Nascimento será escolhido entre três candidatos.

Arlindo Barreto, Odair Varela e Lourdes Gonçalves apresentam-se a votos, liderando três projectos distintos para a universidade pública. A nova equipa reitoral iniciará funções a 25 de Março.

Arlindo Barreto

Sob o lema “juntos por uma universidade de confiança”, Arlindo Barreto, quadro da Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes reclama um “novo salto” para a Uni-CV.

“Um salto com confiança. Os seus membros [da universidade] exigem novas e melhores abordagens, novas formas de pensar e de estar, dentro e fora da Academia”, escreveu na sua página de Facebook.

Barreto, que apresenta Felisberto da Silva Mendes como mandatário, é licenciado em Didáctica do Francês Língua Estrangeira, mestre em Discurso de Poderes e Sociedades nos Países de Línguas Românicas e doutor em Ciências da Linguagem.

No seu manifesto eleitoral, preconiza, entre outras ideias, uma “gestão responsável, baseada em rigor, transparência e sustentabilidade”. Confere prioridade à investigação e disseminação científica e à internacionalização da instituição de ensino superior.

“A Universidade de Cabo Verde é perspectivada como um espaço, por excelência, de educação, investigação, criação, debate, difusão e aplicação livre de conhecimento e que tem um impacto fundamental no desenvolvimento económico, social e cultural do país”, lê-se no documento.

Odair Varela

Odair Varela é professor da Escola de Negócios e Governação e concorre com o lema “por uma universidade sustentável, internacional, digital e inclusiva”.

Na página de Facebook da candidatura declarou ambicionar “uma nova visão” para a Uni-CV, capaz de consolidar “os ganhos alcançados” e projectar a universidade “para novos patamares de excelência e qualidade”.

No manifesto que sujeita à apreciação da comunidade académica, Varela estabelece, por exemplo, a meta de construir uma academia com gestão mais democrática e propõe a renovação e qualificação das ofertas formativas.

“Ambiciona-se uma Uni-CV que tenha um impacto positivo cada vez maior na vida das pessoas do arquipélago, respeitando a diversidade em todas as suas manifestações, na medida em que ela constitui a maior riqueza do país. Almeja-se também uma Universidade comprometida com a construção de uma sociedade intercultural, de respeito pelos direitos humanos, de diálogo e valorização dos saberes, das artes e das culturas”, estabelece.

Odair Varela é licenciado em Relações Internacionais e Ciência Política, mestre em Sociologia, área na qual também é doutorado. Maria dos Anjos Lopes é a mandatária da candidatura.

Lourdes Gonçalves

“Uma nova liderança com mais impacto social” é o lema, em jeito de promessa, de Lourdes Gonçalves, a única mulher a disputar a sucessão de Judite Nascimento, cuja equipa integra, na qualidade de pró-reitora para a extensão universitária. Docente da Escola de Ciências Agrárias e Ambientais, escolheu Jakson Monteiro como mandatário.

A candidata anunciou na sua página de Facebook querer “fazer mais e melhor para gerar resultados e ter mais impacto na vida dos estudantes, das famílias e da sociedade”. Na plataforma eleitoral, assume o compromisso de não deixar nenhum estudante para trás por falta de meios de subsistência. Acredita que as lideranças institucionais têm o dever de criar mecanismos de mitigação das assimetrias sociais.

Lourdes Gonçalves compromete-se a valorizar carreiras.

“Dedicarei uma atenção especial à elevação do conhecimento e progressão nas carreiras dos professores e dos funcionários, uma justa reivindicação, não apenas para reconhecer o mérito e o esforço, mantendo viva a ambição progressiva das classes, mas também para gerar melhores condições para a Uni-CV continuar a avançar”, prioriza.

Gonçalves é licenciada em Antropologia, mestre em Ciências Sociais e doutora em Desenvolvimento Rural.

A 19 de Janeiro, o novo reitor da Universidade de Cabo Verde será eleito por um colégio eleitoral que inclui estudantes, pessoal docente e não docente.

Para 12 de Janeiro está previsto um debate entre os três candidatos, promovido pela comissão eleitoral e com transmissão online.

Em final de mandato, Judite Nascimento chegou ao posto mais alto da hierarquia da universidade pública em Janeiro de 2014, nas primeiras eleições reitorais realizadas na instituição. À data, bateu o então reitor (por nomeação), Paulino Fortes, e Amália Lopes. Quatro anos mais tarde, voltou a vencer a corrida eleitoral, no caso, à segunda volta, que disputou com Artur Furtado. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1049 de 5 de Janeiro de 2021. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Nuno Andrade Ferreira,9 jan 2022 8:40

Editado pormaria Fortes  em  26 jan 2022 23:20

1

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.