Conjuntura e evolução cambial justificam aumento de mais de 8% dos preços da gasolina e gasóleo

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,2 mai 2022 14:28

Comissão de Acompanhamento da Crise Energética Mundial
Comissão de Acompanhamento da Crise Energética Mundial Rádio Morabeza

O aumento de cerca de 8% dos preços da gasolina e do gasóleo é consequência da evolução conjuntural do mercado externo e pelo aumento do câmbio. Esta justificativa foi dada pela Comissão de Acompanhamento da Crise Energética Mundial, em conferência de imprensa proferida esta manhã, na cidade de Praia.

Rito Évora, Director Geral de Energia, explica que a importação dos combustíveis é feita em dólares e que a cotação do câmbio juntamente com a cotação do preço internacional do petróleo acabam por ditar o preço interno dos combustíveis.

“Quando fizemos esta modelação, priorizamos os sectores mais sensíveis que ficam mais protegidos. É o caso do gás que tem implicações em termos das famílias, o caso da electricidade em que há uma maior incidência em termos de proteger os aumentos bruscos. Mas há outros sectores que temos que deixar esse equilíbrio e ter os aumentos, no caso da gasolina neste momento, como também foi menos agravado em termos de cotação não houve necessidade de pôr uma protecção adicional ”, explica.

Gustavo Moreira, representante do Ministério das Finanças na Comissão de Acompanhamento da Crise Energética Mundial, justifica o porquê de não baixar os impostos para que os combustíveis, nomeadamente a gasolina e o gasóleo, fiquem mais baratos.

''Se baixar os impostos significa que no preço final seria relativamente mais baixo. Neste momento, entre os outros mecanismos, o incremento vai ser recompensado, através não só da repassagem, mas também da recompensação às distribuidoras, ou seja, a nível da composição do preço final. É por isso que estamos a dizer, aqui há uma presunção clara que há impacto a nível de imposto, poderia ir directamente para alteração das normas, mas estamos num cenário de incertezas, não sabe até que ponto, até quando isso poderá alterar".  

Este responsável explicou igualmente que a redução dos impostos só poderia ser feita através de propostas de lei. "Estamos em crer que haverá oscilação no mercado, tanto pode subir como descer. Imaginemos que nós alterávamos hoje e amanhã a situação invertia-se, teríamos que ir a mais uma proposta de lei para alterar. Ou seja, em vez de fazermos essas oscilações, utilizou-se um mecanismo em que o impacto final vai ser exactamente o mesmo que é evitar oscilações consideráveis no consumidor final".

A gasolina e o gasóleo sofreram um aumento de mais de 8% na actualização feita este domingo pela ARME.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,2 mai 2022 14:28

Editado porAndre Amaral  em  24 mai 2022 14:19

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.