PAICV afirma que situação de emergência social e económica veio tardiamente

PorSheilla Ribeiro,23 jun 2022 10:15

Para o PAICV a declaração da situação de emergência social e económica veio tardiamente e as medidas agora anunciadas devem ser acompanhas de outras medidas para uma melhor protecção de famílias em insegurança alimentar.

A posição do PAICV foi hoje manifestada durante a sessão plenária.

Segundo o deputado António Fernandes, o OE2022 não deixa de ter a sua responsabilidade sobre a situação económica e social em que o país vive já há algum tempo tendo em conta que o aumento do imposto recaiu sobre mais de 2 mil produtos tiveram um efeito sobre a economia.

“Foi a peça determinante no aumento de preços de produtos básicos de primeira necessidade e de produtos alimentares, ainda antes do eclodir da guerra na Ucrânia”, declarou.

O partido, garantiu, aprova a decisão do governo em declarar a situação de emergência social e económica pois foi acompanhada de propostas de algumas medidas que vão contribuir para atenuação dos preços de alguns produtos.

Mas, frisou o deputado, o PAICV descorda de algumas fundamentações porque entende que o governo tem demorado “tempo demais” na tomada de medidas.

“A própria declaração da situação de emergência social e económica veio tardiamente”, afirmou.

António Fernandes disse que a insegurança alimentar no país tem a ver também com ausência de medidas de políticas para o sector da agricultura, para mobilização de água, e para o mundo rural em particular e para a dificuldade de acesso ao rendimento por parte das famílias.

“Porquê anunciar abertura do emprego público para um período três meses a começar em julho próximo? Isso demostra que o governo realmente ou não conhece o perfil das pessoas na extrema pobreza, ou reconhecendo-o está a agiu de má-fé. Todos sabem que, no meio rural, o mês de Julho e Agosto são reservados para a faina agrícola. Tem sido assim mesmo nos anos em que se declaram seca. Porque o governo não mandou abrir emprego publico em janeiro?”, questionou.

O PAICV entende que as medidas agora anunciadas devem ser acompanhas de outras medidas para uma melhor protecção de um número de famílias em insegurança alimentar e propõe “urgentemente” a distribuição de Cabaz alimentar para suprir as necessidades calóricas das pessoas afectadas pela insegurança alimentar, e apoio aos agricultores com sementes para a faina agrícola que já começou.

Por outro lado, sugeriu a redução do número de membros desse elenco governamental face a actual situação do +país.

“Se o Primeiro Ministro fizer isso seria uma contenção de significativa de recursos para mais medidas para as famílias, seria um grande sinal a dar aos parceiros do país em que os recursos a serem disponibilizados serão colocados à disposição dos que mais precisam”, considerou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,23 jun 2022 10:15

Editado porAndre Amaral  em  25 jun 2022 18:20

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.