PAICV quer reposição imediata do subsídio da farinha de trigo

PorSheilla Ribeiro,16 jan 2023 11:53

Adelsia Almeida
Adelsia Almeida

O PAICV defende a reposição imediata do subsídio da farinha de trigo, como forma a diminuir o preço do pão. O partido afirma ainda qu esse aumento pode ser evitado através da diminuição ou retirada do IVA.

A posição do PAICV foi hoje manifestada pela deputada Adelsia Almeida, em conferência de imprensa.

“Menosprezando a grave situação de aperto em que as famílias vivem, na qual muitas não conseguem levar a panela ao lume, neste novo ano, o Governo decidiu sufocar ainda mais o poder de compra dos cabo-verdianos, retirando a subsidiação da farinha de trigo, provocando assim um aumento brutal deste produto, de primeira necessidade, em quase 60%”, disse a deputada.

Conforme referiu, um saco de farinha que custava antes 2.890$00 passa agora a ser vendido a 4.600$00, com um impacto directo em todos os seus derivados, com destaque para o preço do pão carcaça, que passou de 15 para 20 escudos por unidade.

Adelsia Almeida realçou que o pão já tinha conhecido um aumento de 50% em Abril de 2021 e em 19% em Fevereiro de 2022, factos que entende terem sido ignorados pelo governo que na altura alegou que o mercado é livre e que se autorregula.

“Pede-se, assim ao governo que, reflicta sobre a sua posição ideológica, sobre a teoria do mercado pois, no contexto de incerteza da económica nacional e internacional, em que as famílias cabo-verdianos ainda estão sendo atingidas pelos impactos das crises sem rendimentos, sem emprego e os aumentos salariais foram residuais e os cabo-verdianos veem anualmente a degradação seu salário real”, apelou.

O PAICV refere que aumento do preço do trigo tem também impacto directo no ganha-pão dos cidadãos, sobretudo mulheres chefes de famílias que têm no trigo a principal matéria-prima.

Por outro lado, prosseguiu, os donos de padaria e pastelaria, os distribuidores de pão “que já estavam sufocados com outros aumentos”, como é o caso de combustíveis, sentirão com este aumento, obrigados a reduzirem os custos dos seus negócios o que poderá levar centenas de jovens e chefes de famílias ao desemprego.

Para o partido, a subida generalizada de preços dos produtos de primeira necessidade é fruto do aumento do preço dos combustíveis, mas sobretudo, do aumento dos direitos de importação aplicado a mais de 2 mil produtos, e a falta de investimento do governo nos sectores primários como o sector agrícola e a pesca.

“É preciso lembrar que o governo tem vindo a arrecadar um conjunto de receitas através das taxas que derivam do aumento do preço dos combustíveis, da energia e de outros bens, que

lhe permite perfeitamente manter o subsídio da farinha, evitando o aumento da subida do preço do pão”.

“Ainda pode evitar esse aumento através da diminuição ou retirada do IVA. Uma outra forma de o fazer é através da redução das supérfluas despesas do governo com viagens,

estadias, subsídios, canalizando os montantes para a subsidiação de produtos de primeira necessidade evitando a subida dos preços”, sugeriu.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,16 jan 2023 11:53

Editado porAndre Amaral  em  7 fev 2023 7:20

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.