COVID-19: Isolamento domiciliar é privilégio que pode ser retirado

PorAndre Amaral,2 jul 2020 18:32

Director Nacional de Saúde abordou, mais uma vez, a questão do isolamento domiciliar para os pacientes assintomáticos e sem factores de risco acrescido à COVID-19. E deixou um recado claro: quem não cumprir as regras volta para os hospitais de campanha.

O isolamento domiciliar é uma medida que pode ser aplicada a nível nacional, começou por explicar o Director Nacional de Saúde, Artur Correia, na conferência de imprensa desta quinta-feira mas, para que se possa concretizar é preciso que os pacientes cumpram determinados requisitos e, acima de tudo, regras.

"Essa é uma questão vem sendo posta há várias semanas e é uma possibilidade que o governo, há mais de um mês, tinha posto nas normas que saíram. Neste momento já está em forma de directiva que já foi socializada com todas as estruturas de saúde do país", começou por explicar Artur Correia.

O mesmo responsável disse que o universo de doentes que beneficiarão dessa modalidade de isolamento "são os doentes assintomáticos e os doentes que não têm nenhum factor de risco acrescido, que têm condições sociais e habitacionais que permitam que se faça, de facto, o isolamento de forma eficaz".

Para assegurar que as 'regras do jogo' são cumpridas, os pacientes têm, antes, de assinar uma declaração "em que se comprometem a cumprir com todas as directivas que foram dadas para a fase de isolamento domiciliar". Em caso de não cumprimento, o Director Nacional de Saúde foi taxativo: "Caso não se cumpra suspende-se imediatamente o isolamento domiciliar e retoma-se o isolamento institucional".

No que respeita a casos confirmados, Artur Correia referiu que, na Praia, os bairros mais afectados são os de Achada Santo António e Tira Chapéu não tendo, no entanto, avançado um número acumulado de casos nestes dois bairros.

Já quanto a números é de registar que hoje as autoridades de saúde não registaram a existência de qualquer caso suspeito de infecção na Praia e em Santa Cruz, os dois concelhos mais afectados pela doença em Santiago. Santa Catarina tem quatro casos suspeitos, Tarrafal registou seis e Sal sete. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,2 jul 2020 18:32

Editado porSara Almeida  em  28 nov 2020 23:21

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.