3ª edição da URDI espera 144 expositores

PorLourdes Fortes,16 nov 2018 13:51

Irlando Ferreira
Irlando Ferreira(Rádio Morabeza)

A 3ª edição da Feira Nacional de Artesanato e Design de Cabo Verde (URDI), marcada para 28 de Novembro a 2 de Dezembro, vai reunir mais de 140 criadores nacionais e estrangeiros. A edição 2018 tem como destaques os municípios da Brava e de Santa Catarina (Santiago) e homenageia o falecido artesão são-vicentino, Djoy Soares.

A 3ª edição da Feira Nacional de Artesanato e Design de Cabo Verde (URDI), marcada para 28 de Novembro a 2 de Dezembro, vai reunir mais de 140 criadores nacionais e estrangeiros. A edição 2018 tem como destaques os municípios da Brava e de Santa Catarina (Santiago) e homenageia o falecido artesão são-vicentino, Djoy Soares.

A informação foi avançada hoje, pelo director do Centro Nacional de Artesanato (CNAD), Irlando Ferreira, durante a apresentação do evento, que vai decorrer sob o lema “Importância do Centro Nacional de Artesanato na criação de uma identidade visual cabo-verdiana”.

Irlando Ferreira destaca a consolidação da internacionalização da URDI e o seu papel na valorização e dinamização do artesanato nacional.

“Temos sempre como propósito a valorização da dimensão simbólica, patrimonial e turística do artesanato cabo-verdiana, com base numa partilha construtiva, fortificada e empreendedora. Aqui a partilha é essencial, porque a URDI é uma rede de partilha, começa nos artesãos e desemboca nos designers, arquitectos e também nos investigadores, assim como nas oficinas que existem em Mindelo, mas não só. Ou seja, o nosso objectivo é conectar a URDI com Cabo Verde e o Mundo”, afirma.

A edição 2018 da Feira Nacional de Artesanato e Design de Cabo Verde conta com a participação de todas as ilhas, sendo que este ano o destaque vai para os municípios da Brava e de Santa Catarina de Santiago.

“Todos os anos elegemos dois municípios destaque que, para além de trazerem o seu artesanato, trazem outras vertentes da sua cultura para podermos lançar um olhar sobre esses territórios. Como é o caso da Brava que, por vezes, fica ali um bocadinho à margem do que se passa nas cidades com outro desenvolvimento, e também convidamos Santa Catarina, dada a sua importância, sobretudo no fazer artesanal da panaria cabo-verdiana”, indica.

Também são esperados mestres, designers, artistas, arquitectos, académicos e agentes da Guiné Bissau, Burkina Faso, Egipto, Portugal e Brasil.

A URDI vai distinguir o melhor stand da feira com o prémio Djoy Soares, numa homenagem ao mestre artesão falecido em Março deste ano.

A Food Design também vai marcar presença na Praça Nova, palco principal da Feira Nacional de Artesanato e Design de Cabo Verde, através do piquenique. A ideia, segundo a organização, é recuperar a essência do piquenique que faz parte da memoria comum, bem como a 'frisquinha'.

Esta edição da URDI está a decorrer, de facto, desde Setembro, com o lançamento do concurso Boka Panu, que teve como objectivo levar os criadores a repensar e a dar nova vida ao emblemático pano di terra. De 34 candidaturas, foram seleccionados 13 projectos: Balói de Ferr, Banco em cubos, bolsa, biombo, cabolage, esmolt, luminária de traços geométricos, panu d’ boka, pano-gram, pintadura, relógio, spot Light, teorema urdido. As peças serão exibidas na inauguração do salão Created in Cabo Verde.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes,16 nov 2018 13:51

Editado porAndre Amaral  em  6 ago 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.