Manuel de Candinho quer internacionalizar o violão cabo-verdiano

PorDulcina Mendes,11 nov 2023 8:28

No âmbito do plano de internacionalização do violão cabo-verdiano, o músico Manuel de Candinho criou o projecto “Duo Manuel de Candinho”, que significa Manuel de Candinho em dueto com um colega, tendo, neste caso, escolhido Palinh Vieira, músico muito requisitado nas noites cabo-verdianas.

Com este projecto, Manuel de Candinho pretende viajar por vários países para mostrar não só o violão cabo-verdiano como os seus dotes neste instrumento. Em entrevista ao Expresso das Ilhas, o músico conta que sentiu a necessidade de dar o seu contributo nesta área.

“É necessário que nós, tocadores de violão, tragamos este tipo de sonoridade para a comunidade cabo-verdiana, para podermos ter diversidade, porque há pessoas que precisam ouvir música que gostam. Uma coisa é música urbana, outra coisa é música tradicional. Então temos que fazer a nossa parte”, indica.

Manuel de Candinho frisou que, se formos ver a música instrumental no violão que era feita antigamente, é quase impossível hoje em dia encontrar algo semelhante porque as pessoas não estão a enveredar por este tipo de som.

Depois de a Morna ser Património Mundial da Humanidade, o músico lançou o álbum “Rainha das Ilhas”, para dar o seu contributo no plano de salvaguarda. “Há pessoas que gostam de ouvir música instrumental e percebi isso nos meus concertos. Há dias dei um concerto no Centro Cultural Português da Praia, o espaço estava cheio e estavam lá bons apreciadores de música”.

Manuel de Candinho explica que há muito tempo fazia dueto com Palinh Vieira, mas agora, com a sua intenção de internacionalizar o violão cabo-verdiano, estreou o projecto num evento na ilha do Sal. Seguiu-se referido concerto no Centro Cultural Português na Praia, e no dia 17 deste mês, vão estar num outro concerto no Auditório Nacional Jorge Barbosa.

image

“Depois disso vamos continuar a fazer concertos, temos viagens programadas para fora do país, vamos continuar com o projecto até culminar em mais uma gravação. Já no início de Dezembro vamos a Angola, e de seguida há outros países aonde vamos fazer concertos”, aponta.

Música tradicional

Para Manuel de Candinho, a música tradicional está num bom caminho. “Sou um dos que está a fazer algo neste sentido. Basta ver que temos muitos jovens cantores, meninas e rapazes, que cantam música tradicional. São muitos mais do que antigamente. Antes, tínhamos um ou outro, mas agora há muitos jovens que cantam música tradicional, outros que cantam outros géneros musicais, e assim satisfazem-se todos os gostos”.

“Não vamos pensar que a música tradicional está em risco, nem na parte instrumental nem na vocal. Para o instrumental, há muito trabalho a ser feito e temos que ensinar os nossos meninos a tocar a música de Cabo Verde”.

Na verdade, considera, muitos jovens que estão agora a tocar têm muitas dificuldades em tocar a música de Cabo Verde, mas têm vontade. “Havendo vontade, podemos com as escolas arranjar um programa e método de ensinar de forma a que consigam mais tarde serem grandes executores da música tradicional de Cabo Verde”.

Escola de música

Com cerca de 50 anos no mundo da música, Manuel de Candinho pretende criar a sua escola de música para ensinar aos mais novos a tocar música tradicional. “Quero criar uma escola completamente voltada para a música tradicional pois tenho assistido a apresentações de alunos de escolas que estão no país e reparei que estão a seguir a música clássica”, disse. “Isso não é muito bom, podemos usar como base de ensino, para familiarizar e manejar os instrumentos, mas depois temos que colocar a música de Cabo Verde como matéria de aprendizagem porque senão aprende-se a tocar, mas não a música do seu país”, alerta.

Concerto no Auditorio Nacional

No dia 17 deste mês, a Cidade da Praia vai receber mais um concerto de Manuel de Candinho e Palinh Vieira onde terão como convidado o músico Voginha, que virá da ilha de São Vicente. Segundo Candinho, esta será uma noite dedicada ao violão cabo-verdiano e vários géneros musicais. “Não será um concerto só de música de Cabo Verde, mas de música variada, em que entra o tradicional de Cabo Verde, música com base no latim jazz, bossa nova e vários outros géneros musicais. Então, será uma noite de música variada”, revela. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1145 de 8 de Novembro de 2023.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,11 nov 2023 8:28

Editado porEdisângela Tavares  em  24 jun 2024 23:29

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.