Preço das taxas é baseado nos valores médios pagos nos últimos anos, garante DNRE

PorAndre Amaral,6 set 2019 6:34

3

Directora Nacional das Receitas do Estado, Liza Vaz
Directora Nacional das Receitas do Estado, Liza Vaz

Objectivo da nova tabela de taxas para desembaraço de encomendas tem por objectivo facilitar o levantamento de pequenas encomendas nas alfândegas do país, explica a Directora Nacional das Receitas do Estado (DNRE),.

Liza Vaz esclarece que o estabelecimento destas novas taxas teve como objectivo “facilitar o serviço das pequenas encomendas que, como é do conhecimento geral, é o que causa maior constrangimento e coloca um pouco em causa a imagem da DNRE no que diz respeito à Direcção Geral das Alfândegas”.

A ideia é, assim, facilitar o desembaraço das pequenas encomendas que chegam a Cabo Verde, essencialmente, por via marítima. “O que nós quisemos introduzir foi uma taxa única para as pequenas encomendas. Portanto, as pessoas que tragam bens de fora para o seu consumo familiar, para o seu consumo próprio, que não tenha fins comerciais, pagam uma taxa única, passam no scanner e vão para casa”, explicou Liza Vaz ao Expresso das Ilhas.

Quanto ao valor mínimo de “quatro mil escudos baseou-se num estudo que fizemos dos valores que foram pagos em média nos últimos anos e determinámos que era esse o valor médio razoável para se cobrar como taxa única”. “Por outro lado, importa esclarecer que o regime de franquia se mantém. Os volumes até 10 mil escudos não estão sujeitos a pagamento de taxas nessa matéria, continua-se com o regime que já vigorava”.

“Depois, temos a questão dos electrodomésticos. Aqui temos de ver uma coisa, se for tudo novo quem tiver a factura vai pagar os direitos aduaneiros sobre 30% do valor aduaneiro que é o valor da factura. Por exemplo, um bem que custe 100, o consumidor vai pagar 30”, acrescentou a Directora Nacional das Receitas do Estado.

Pequenas encomendas passam a pagar 4.000 ou 5.500 escudos

Foram publicadas hoje, no Boletim Oficial, as alterações ao Código Aduaneiro que irão, segundo o governo, simplificar o processo de levantamento das pequenas encomendas nas alfândegas. Valores de desalfandegamento de pequenas encomendas oscilam entre os 4 mil e os 5.500$00.

No entanto, a comprovação do valor de qualquer tipo de encomendas estará sempre dependente da apresentação de uma factura por parte da pessoa que vai levantar a encomenda. “Se não houver factura, aí terá de ficar sujeito a vistoria e avaliação”, diz Liza Vaz.

Nota: Texto corrigido às 11h42, no 4º parágrafo corrigindo os valores a serem pagos pelos consumidores

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,6 set 2019 6:34

Editado porAndre Amaral  em  20 nov 2019 23:21

3

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.