BCV - Financiamento do sistema bancário pode ser ajustado em função da evolução da COVID-19

PorSheilla Ribeiro,8 abr 2020 14:57

João Serra
João Serra

O governador do Banco de Cabo Verde anunciou hoje que os 45 milhões de contos da linha de financiamento do sistema bancário podem ser ajustado em função da evolução da COVID-19.

João Serra fez esta afirmação durante uma reunião do Primeiro-ministro com os representantes dos Bancos Comerciais, o Banco de Cabo Verde e as Seguradoras.

“Começamos com 45 milhões de contos, porque é o stock total da dívida pública na posse da banca, mas podemos ajustar em função da evolução da situação. Também como já foi dito, fizemos um conjunto de afrouxamentos ao nível das exigências no que concerne a supervisão provincial para efeitos de deixarmos a banca com mais capital e por está via mais propensa a atribuir mais crédito à economia e às famílias”, pronunciou.

O governador do BCV disse que o país possui um quadro de política monetária “muito moderno”, que julga ser “muito adequado” à situação concreta que vive.

João Serra reiterou ainda o apelo para que aqueles que não foram afectados pela pandemia continuarem a honrar os seus compromissos junto da banca, tenho em conta que esta é um “pilar fundamental” para a sobrevivência de Cabo Verde enquanto país.

Neste momento, prosseguiu, a banca tem que demonstrar de forma reforçada a sua responsabilidade social enquanto agente importante em termos da actividade económica, mas também de promoção social no país.

“Contamos com a banca, temos a intenção de reunirmos com a banca, estamos à espera da melhor oportunidade porque achamos que a banca tem um papel importante a desempenhar. Primeiro na disponibilização dos recursos à economia, às famílias, segundo em termos de custos desses recursos, se os mesmos estão a ser conseguidos a uma taxa simbólica não poderão ser disponibilizados às taxas actuais que vivemos no país. Nós todos temos de ser céleres e eficazes naquilo que temos porque o tempo urge”, considerou.

Na mesma ocasião, Ulisses Correia e Silva apelou aos bancos comerciais, Banco de Cabo Verde (BCV) e às seguradoras, a implementação rápida das medidas extraordinárias de apoio à economia do país, porque “há muito em jogo”.

Primeiro, apontou o Primeiro-ministro, é preciso dar respostas às necessidades efectivas das pessoas e depois à confiança. Para o Chefe do governo se o sistema demorar a dar respostas, quebra-se a relação de confiança, relativamente às medidas que têm de facto de estar em efectividade num período curto.

“Este é o grande problema deste momento. Não há tempo para pensar no sentido de termos todos os riscos controlados. Não estando numa situação de normalidade, exige-se muita capacidade de sermos efectivos e ao mesmo tempo garantir a segurança das operações, que é necessária. E é neste período em que o sistema financeiro de facto funciona e irá funcionar como baluarte de confiança”, disse.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,8 abr 2020 14:57

Editado porAndre Amaral  em  22 out 2020 23:21

pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.