Lula assume candidatura presidencial no Brasil pelo Partido dos Trabalhadores

PorExpresso das Ilhas, Lusa,9 jun 2018 8:12

Lula da Silva
Lula da Silva

O ex-presidente do Brasil "Lula" da Silva, que está preso há dois meses por ter sido condenado por corrupção, divulgou hoje um manifesto em que assume uma candidatura pelo Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência do Brasil.

"É para acabar com o sofrimento do povo que sou novamente candidato à Presidência da República. Assumo esta missão porque tenho uma grande responsabilidade com o Brasil e porque os brasileiros têm o direito de votar livremente num projecto de país mais solidário, mais justo e soberano, perseverando no projecto de integração latino-americana", escreve o ex-presidente na sua página oficial, a partir da cadeia em Curitiba. 

O manifesto foi lido integralmente em público esta noite, em Minas Gerais, pela também ex-presidente Dilma Roussef, durante o lançamento da pré-candidatura de Lula às eleições de Outubro. 

No entanto, a candidatura do ex-líder sindical é uma hipótese remota, uma vez que as leis eleitorais brasileiras proíbem condenados em segunda instância, como é o caso, de concorrer a qualquer cargo público. 

O antigo chefe de Estado brasileiro foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, por corrupção e lavagem de dinheiro, num caso relacionado com o escândalo Lava Jato, encontrando-se a cumprir pena há dois meses, em Curitiba. 

O PT mantém no entanto viva a esperança de uma candidatura presidencial de Lula, que aparece como favorito nas sondagens, pedindo a sua libertação, alegando que foi condenado injustamente. O partido lançou mesmo uma recolha de fundos para financiar a candidatura. 

No manifesto, Lula volta a reclamar inocência. "Há dois meses estou preso, injustamente, sem ter cometido crime nenhum. Há dois meses estou impedido de percorrer o País que amo, levando a mensagem de esperança num Brasil melhor e mais justo, com oportunidades para todos, como sempre fiz em 45 anos de vida pública", refere. 

"Não posso me conformar com o sofrimento dos mais pobres e o castigo que está se abatendo sobre a nossa classe trabalhadora, assim como não me conformo com minha situação", diz Lula, que se apresenta como "preso político". 

O ex-sindicalista critica a política do atual Governo, que na sua opinião protege os poderosos, e garante que a sua eventual candidatura representa a esperança num Brasil melhor. "Um País em que todos possam fazer novamente três refeições por dia; em que as crianças possam frequentar a escola, em que todos tenham direito ao trabalho com salário digno e proteção da lei. Um país em que todo trabalhador rural volte a ter acesso à terra para produzir, com financiamento e assistência técnica". 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,9 jun 2018 8:12

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.