​Polícia britânica alerta para riscos de segurança de Brexit sem acordo

PorExpresso das Ilhas, Lusa,27 dez 2018 14:42

A responsável da Metropolitan Police, comissária Cressida Dick, alertou hoje para os custos e os efeitos potencialmente prejudiciais para a segurança pública de uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo.

Cressida Dick, que é dos mais graduados oficiais de polícia do país, considerou que uma saída sem acordo poria em risco o acesso às bases de dados criminais da União Europeia e dificultaria a extradição de suspeitos do estrangeiro.

"Seria muito difícil no curto prazo. Teríamos de substituir algumas das coisas que actualmente usamos em termos de acesso a bases de dados, bem como a forma como podemos extraditar e prender suspeitos rapidamente", disse, citada pela comunicação social do Reino Unido.

Cressida Dick adiantou que será preciso substituir o acesso a essas bases de dados "o mais eficientemente possível".

"Será indubitavelmente mais caro, mais moroso e aumentará potencialmente os riscos para a segurança pública", acrescentou.

A responsável da Metropolitan Police disse ainda estar em conversações com as outras forças policiais na Europa sobre eventuais planos de contingência e manifestou a esperança de que seja possível ao Reino Unido implementar sistemas de combate ao crime como aqueles de que dispõe e a que tem acesso actualmente.

O acordo de saída da UE esteve para ser votado a 11 de Dezembro, mas a primeira-ministra britânica, Theresa May, decidiu adiar o voto dada a elevada probabilidade de ser chumbado por uma "margem significativa" na Câmara dos Comuns.

Um novo debate no parlamento britânico sobre o acordo de 'Brexit' está agora previsto para começar a 09 de Janeiro, estando a votação marcada para a semana de 14 a 18 de Janeiro.

O Reino Unido deverá sair da União Europeia em 29 de março de 2019.

Depois do 'Brexit', o país deixará de ser membro das agências europeias Europol e Eurojust e do Sistema Europeu de Mandados de Detenção, que permite aos países membros acelerar a extradição de suspeitos e condenados.

O acordo sobre as relações futuras comprometem os dois lados a estabelecerem planos recíprocos para tentar harmonizar a aplicação da lei e a cooperação judicial.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,27 dez 2018 14:42

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.