Mais de 181 milhões de infectados por COVID-19 em todo o mundo

PorExpresso das Ilhas, Lusa,28 jun 2021 15:12

O novo coronavírus infectou 181.026.780 pessoas em todo o mundo desde que a doença foi identificada em Dezembro de 2019 na China, segundo um balanço da agência France-Presse divulgado hoje.

Daquele total de infectados, 3.925.816 morreram desde o início da pandemia. A grande maioria dos doentes recupera, mas uma parte ainda mal avaliada continua com sintomas durante semanas ou até meses.

Os números da AFP baseiam-se em balanços diários das autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores de determinados organismos estatísticos, que indicam um número muito superior de óbitos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula, tendo em conta o excesso de mortalidade ligada direta e indiretamente à COVID-19, que o balanço da pandemia poderá ser duas a três vezes superior ao registado oficialmente.

Nas últimas 24 horas foram registados 6.743 mortos e 325.186 casos em todo o mundo. Os países com maior número de mortos foram a Índia, com 979 óbitos, o Brasil (739) e a Colômbia (664).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 603.967 mortes em 33.625.039 casos, de acordo com a contagem realizada pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 513.474 mortos e 18.420.598 infectados, a Índia com 396.730 mortes (30.279.331 casos), o México com 232.564 óbitos (2.505.792 casos), e o Peru com 191.899 óbitos (2.048.115 infectados).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 582 mortes por 100.000 habitantes, seguido da Hungria (310), a Bósnia (294), a República Checa (283) e a Macedónia do Norte (263).

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje 1.265.383 mortes em 37.113.803 casos, a Europa, 1.165.834 mortes (54.318.849 casos), os Estados Unidos e Canadá 630.194 mortos (35.038.242 infectados), a Ásia 572.615 mortes (38.858.735 casos), o Médio Oriente 149.573 mortos (9.228.238 casos), a África 141.093 mortes (5.415.399 infectados) e a Oceania 1.124 mortes (53.523 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou drasticamente e as técnicas de rastreamento e despistagem melhoraram, levando a um aumento no número das infecções declaradas.

No entanto, uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos não são detetados.

Este balanço foi realizado com base em dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e em informações da OMS.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,28 jun 2021 15:12

Editado porAndre Amaral  em  18 out 2021 23:21

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.