EUA dizem ser "demasiado cedo" para avaliar contra-ataque ucraniano

PorExpresso das Ilhas, Lusa,13 set 2022 7:37

O secretário de Estado norte-americano considerou ser "demasiado cedo" para antecipar o resultado do contra-ataque pelo exército da Ucrânia, no nordeste do país, contra as forças da Rússia.

"É demasiado cedo para dizer exactamente onde isso nos vai levar", disse, na segunda-feira, Antony Blinken, numa conferência de imprensa no México, acrescentando que estes são os primeiros dias da contraofensiva ucraniana.

O responsável norte-americano observou que "os russos mantêm forças muito significativas na Ucrânia, bem como equipamentos e munições", mas há "claramente progressos significativos da parte ucraniana, sobretudo no nordeste" do país.

Esta contraofensiva "é o resultado do apoio" que os Estados Unidos forneceram, "mas acima de tudo, é o resultado da extraordinária coragem e resiliência das forças ucranianas e do povo ucraniano", disse.

"Os ucranianos lutam pela pátria e pelo futuro, não os russos", sublinhou Blinken, que se deslocou ao México para um "diálogo económico" bilateral, no âmbito do qual os dois países anunciaram planos de integração na produção de 'chips' semicondutores, veículos eléctricos e lítio.

Na segunda-feira, a Ucrânia declarou ter efectuado novas conquistas militares e ter retomado, ao longo de um mês, o equivalente a sete vezes a superfície de Kiev ao exército russo, que respondeu com bombardeamentos de algumas zonas recuperadas.

O exército ucraniano tinha inicialmente anunciado uma contraofensiva no sul, antes de realizar, na última semana, incursões rápidas na região de Kharkiv (nordeste).

A ofensiva militar lançada a 24 de Fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de quase 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e quase sete milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,13 set 2022 7:37

Editado porAndre Amaral  em  2 dez 2022 23:28

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.