Combate à lavagem de capitais exige trabalho conjunto - PJ

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,18 jun 2019 8:32

1

O director nacional da Polícia Judiciaria (PJ), António Sebastião Sousa, realça a necessidade de um trabalho conjunto entre as diversas entidades para fazer face ao crime de lavagem de capitais, tendo em conta a sua complexidade.

O responsável falava segunda-feira aos jornalistas, na sequência da realização, na Cidade da Praia, de uma formação sobre “Reforço das Capacidades de Luta Contra o Branqueamento de Capitais na África Ocidental”. 

A PJ, garante,  tem condições para investigar esse tipo de crime, mas salienta a necessidade de cooperação e formação contínua.

António Sebastião Sousa adianta que, segundo a avaliação nacional de risco, o crime da lavagem de capitais está, em Cabo Verde, mais associado ao crime de tráfico de droga. Contudo, indica, há outros riscos associados às actividades económicas, a corrupção e a fraude fiscal, afectando o Estado de direito.

“Sabemos que é um crime de difícil detecção, uma vez que os criminosos tentam usar meios sofisticados para dissimularem as vantagens provenientes do crime e por isso há a necessidade das entidades que têm competência nesse domínio trabalharem em conjunto. Há também necessidade da cooperação internacional, para fazer face a esse fenómeno que é cada vez mais pernicioso”, sustentou.

A formação em curso, na Praia, é destinada aos investigadores da Polícia Judiciária, pessoal afecto à Unidade de Informação Financeira (UIF), magistrados do Ministério Público e Judiciais, funcionários das Alfândegas e dos Registos e Notariado.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,18 jun 2019 8:32

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 out 2019 23:21

1

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.