Direcção do HAN diz que tudo está a ser feito para reverter quadro clínico de adolescente em estado grave

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,17 ago 2020 8:32

O director clínico do Hospital Agostinho Neto (HAN), Victor Costa, garantiu que tudo está a ser feito pela equipa médica para reverter o quadro clínico do adolescente de 15 anos infectado com covid-19 e em estado crítico.

Em declarações à RCV, Victor Costa disse inclusive já haver sinais de melhoria no estado de saúde do paciente, que conforme indicou entrou no hospital com um “quadro de alguma gravidade”.

“Neste momento encontra-se sob os cuidados do colectivo de internamento do isolamento de covid-19 e do dia de internamento para hoje, da conversa que eu tive com os técnicos, com os profissionais, houve alguma melhoria desse adolescente”, adiantou.

Este domingo a mãe do adolescente, enfermeira de profissão, acusou os profissionais do hospital de campanha do Estado Nacional, na cidade da Praia, de “descaso” nos cuidados ao filho e responsabilizou-os pelo estado em que Fábio Ramos dos Santos se encontra neste momento.

Victor Costa encara com normalidade essa reacção, sobretudo, no tratamento de um menor.

“Ele realmente entrou com uma situação da covid-19 com outra situação clínica que também poderá agravar a situação daí a aflição da mãe que é também uma profissional de saúde, mas o que eu vos garanto é que no HAN e concretamente no serviço de isolamento da covid-19 este adolescente está a receber todo o apoio para ver se é possível reverter a situação e nós acreditamos que sim tendo em conta a evolução da criança”, avançou

Entretanto, disse que não pode responder sobre aquilo que terá passado no hospital de campanha, já que não é área de actuação do HAN, remetendo as explicações para a Delegacia de Saúde da Praia.

Fábio Ramos dos Santos, filho de Geralda Ramos, recebeu o diagnóstico de covid-19 no dia 10 de Agosto e foi levado para Estádio Nacional, onde a sua situação clínica se veio a complicar.

A mãe, que é enfermeira de profissão, e com experiência de trabalho com doentes de covid-19, disse que se manteve sempre em contacto com o filho que relatava as pioras do seu estado e que sempre que ela falava com os enfermeiros do hospital de campanha estes lhe diziam que o menino estava bem.

Mesmo perante várias insistências, contou, só decidiram transferir o adolescente infectado para isolamento do HAN, na sexta-feira, depois deste ter iniciado uma hemorragia digestiva.

Por isso acusa os colegas de serem responsáveis pela gravidade do estado de saúde do filho.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,17 ago 2020 8:32

Editado porSara Almeida  em  30 out 2020 23:20

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.