Covid-19 : “Verifica-se uma certa estabilidade da epidemia no país”, Artur Correia

PorDulcina Mendes,2 set 2020 21:16

O Director Nacional de Saúde, Artur Correia, disse, esta segunda-feira, na habitual conferência de imprensa sobre a COVID-19, que globalmente se verifica uma certa estabilidade em termos de evolução da epidemia no país.

Segundo Artur Correia, durante o confinamento houve um período de estabilidade, mas foi a um nível muito inferior, “estamos agora numa estabilidade num nível muito superior, com 300 casos a nível nacional e 200 a nível da cidade da Praia”.

E explicou que há mais de sete semanas que o país está nessas situação. “Estamos com esta estabilidade porque as acções estão a ser tomadas, a população está a colaborar, o uso das máscaras está a ser paulatinamente generalizado, as pessoas estão a cumprir, mas é preciso cumprirem mais”.

Na mesma linha, indicou que essa estabilidade tem a ver com as medidas que foram tomadas, caso contrário, não haveria essa estabilidade, mas sim um crescimento exponencial. “Queremos baixar essa estabilidade para valores inferiores. É esse o nosso desafio, baixar essa média para uma média inferior e evitar mortes”.

Em relação aos óbitos, a taxa de letalidade no país, apesar de ter registado 40 óbitos, é de 1%. “E esperamos que continua baixa ou que se aproxime-se de zero. É esse o nosso desafio em relação à mortalidade”, frisou.

Conforme Artur Correia, a nível de Cabo Verde temos uma média de 309 casos, mínimo de 187 e máximo de 381, que é uma média semanal das últimas quatro semanas.

“Quando comparada com a do mês anterior, estamos com uma média de 309 nesta última semana, mas com gráfico com uma tendência moderadamente estacionária”.

Para Artur Correia, os dados técnicos apontam que o país está a atravessar um período de estabilidade, quer em termos globais na evolução da epidemia, quer em termos de médias móveis nos últimos 14 dias, quer em termos de RT (número de reprodução).

Fogo com aumento de casos

Entretanto, o Director Nacional de Saúde mostrou alguma preocupação em relação a ilha do Fogo com particular destaque para os Mosteiros que tem apresentado um aumento de casos.

Artur Correia é de opinião que o concelho dos Mosteiros requer uma atenção redobrada para que se possa controlar a situação a nível da ilha.

“Mosteiros é o concelho mais problemático de momento, com novo foco, em que os casos estão concentrados nas localidades de Relva, Corvo, parte Sul da ilha. Nas últimas três semanas partimos de 2 casos para 25 e 20. Estamos a fazer todos os esforços e contámos com a colaboração da população para que os casos fiquem confinados nessas zonas”, sublinhou.

Neste sentido, apelou à população para respeitar as regras de higiene individual, familiar e colectiva, para usar as máscaras como medidas protectoras, evitar deslocações para outras localidades o máximo que poderem, fazer deslocações apenas essenciais e evitar visita a vizinhos. “Se fizermos isso durante 10 dias, com certeza que teremos a situação controlada mas vai exigir da parte das autoridades locais a vigilância, a supervisão do cumprimento dessas medidas”.

Artur Correia chamou a atenção dos transportes públicos que frequentam essas zonas para transportarem menos pessoas possíveis para evitar o contágio, evitar os espaços fechados e contactos próximos, quer com vizinhos quer com familiares. “Devem manter a distância necessária e fazer a higiene das mãos e usar máscaras sempre. São Filipe tem poucos casos e a situação está controlada, por enquanto”.

Conforme indicou, a nível nacional há vários dias que o RT abaixou, ficando à volta de 1.07, com algumas variâncias em alguns concelhos.

Em relação aos bairros mais afectados do concelho da Praia, Achada Santo António tem 330 casos acumulados, seguida de Tira Chapéu, Achada Grande Trás, Terra Branca e Achada de São Filipe.

Em relação ao Sal, há uma situação estacionária. Nas últimas quatro semanas houve 38, 30 e 40 casos, com uma média de 34 casos, com um mínimo de 29, máxima de 40. Em Santa Cruz a situação está praticamente controlada. Em Santa Catarina a situação está estabilizada.

Sobre os casos

Na quarta-feira, 26 de Agosto, o país registou 62 casos positivos, 40 recuperados e 1 óbito, nos Mosteiros. Já na quinta-feira, 27, houve um aumento de casos com 69 infecções e 36 recuperados. Na sexta-feira, 28, o número de casos diminuiu para 47 novos doentes e 58 recuperados.

No sábado 29, manteve-se a tendência descendente, com 33 casos, 48 recuperados e um óbito na cidade da Praia. Domingo 30, já contrariou a tendência com 74 casos, 12 recuperados e um óbito na Ribeira Brava, São Nicolau. Esta segunda-feira, 31, os casos voltaram a diminuir para 32 novos casos positivos e 49 recuperados e terça-feira, 1 de Setembro, o país voltou a registar um aumento que foi de 86 novos casos e 34 recuperados.

De acordo com um balanço feito pela agência francesa AFP, a pandemia da COVID-19 já provocou pelo menos 851.071 mortos e infectou mais de 25,5 milhões em todo o mundo desde Dezembro. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 979 de 2 de Setembro de 2020.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,2 set 2020 21:16

Editado porSara Almeida  em  22 set 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.