Nove casos suspeitos registados em Santiago, Sal e Boa Vista

PorAndre Amaral,22 abr 2020 19:01

Há nove casos suspeitos registados, 116 amostras pendentes e 300 pessoas em quarentena domiciliar no país, anunciou, esta quarta-feira, o Director Nacional de Saúde em conferência de imprensa.

No dia em que a Praia atingiu os 19 casos confirmados de infecção pelo coronavírus, elevando o total nacional para 73 casos, o Director Nacional de Saúde, Artur Correia explicou que dos novos casos suspeitos estão localizados "na Praia (3), Santa Catarina (2), Tarrafal (1), Sal (1) e Boa Vista (2)".

Do total de 116 amostras pendentes, 23 são da Praia, uma de Santa Catarina, uma do Tarrafal, 11 do Sal e 80 da Boa Vista "e estão a aguardar processamento". Quanto a doentes internados, Artur Correia disse que há, neste momento 73 pessoas em internamento "das quais 19 na Praia, uma no Tarrafal, uma em São Vicente e 52 na Boa Vista". Já a medida de "isolamento ou quarentena domiciliar" atinge, neste momento, 300 pessoas em todo o país, explicou Artur Correia durante a conferência de imprensa. 

Depois da decisão tomada pelo governo de não serem revelados os bairros da capital onde se têm confirmado os casos de COVID-19, Artur Correia disse que "há casos em mais ou menos cinco bairros" da Praia. "Mas isso é evolutivo, há muitas amostras pendentes. Amanhã de certeza teremos mais e vamos ver se conseguimos não ter vários bairros, mantendo os cinco. Mas é imprevisível". 

Questionado sobre os casos positivos, registados na Praia, de duas mulheres que vieram da Boa Vista e que acusaram positivo no final do período de quarentena, Artur Correia explicou que estes dois casos são de "pessoas que vieram num voo que foi buscar a equipa técnica do Ministério da Saúde, para efeitos de substituição e entraram em quarentena" assim que chegaram à Praia. "Foi nessa fase que foram diagnosticadas com COVID". "Não são casos da Praia, são casos importados que foram isolados, identificados e diagnosticados e que estão em isolamento", garantiu Artur Correia, que acrescentou que as duas doentes "não são funcionárias do Ministério da Saúde. São de um outro ministério". 

Sobre o único caso de São Vicente e o facto de, até ao momento, a paciente continuar a acusar positivo para a COVID-19, o Director Nacional referiu não se está perante um caso de um falso positivo. "Não tem a ver com a pessoa, tem a ver com o teste. Nós utilizamos o teste PCR que pesquisa e identifica o material genético do vírus. Os testes, cada vez que fazemos, têm identificado que há presença do material genético do vírus. Mas, em relação a essa doente, já fizemos um outro teste, de anticorpos, que também confirmou que a senhora teve contacto e produziu anticorpos contra o vírus".

"Não temos dúvidas de que a doente em questão esteve em contacto com o vírus. Só estamos à espera que negative, para ela poder ter alta", concluiu.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,22 abr 2020 19:01

Editado porSara Almeida  em  2 jun 2020 21:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.