Cabo Verde procura outras alternativas para além do mecanismo Covax – ministro

PorExpresso das Ilhas, Lusa,10 fev 2021 7:49

Cabo Verde tem estado aberto e à procura de encontrar outras alternativas e mais vacinas, para além do mecanismo Covax, disse hoje na cidade da Praia o ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário.

O governante revelou estas informações em declaração à imprensa, à saída de um encontro com os embaixadores da União Europeia e dos Estados Membros, presentes em Cabo Verde, para discutir os desafios gerais no sector da saúde e da pandemia da covid-19, em particular.

“O importante é que tenhamos a certificação da devida segurança das vacinas e estamos neste processo de também contacto com outros países. Não temos nada de concreto, neste momento, mas todos os esforços estão a ser feitos com um envolvimento muito profundo dos serviços do Ministério dos Negócios Estrangeiros e esperamos que possamos ter resultados mais concretos para a apresentar”, disse.

Questionado com que países o arquipélago está a negociar, Arlindo do Rosário citou a Rússia e a China e “outros países também produtores”.

Em relação às datas no âmbito do mecanismo Covax, Arlindo do Rosário, embora afirmando não ter como se comprometer, disse que todas as negociações têm sido feitas, estando estas “numa fase muito avançada”, esperando que ainda no trimestre de 2021 Cabo Verde venha a receber pelo menos uma parte da vacina.

“As primeiras vacinas que irão chegar serão destinadas, sobretudo, para o pessoal da saúde, os que estão na linha da frente, mas temos a possibilidade de avançar, logo de seguida, com outras vacinas”, acrescentou.

As condições em termos logísticas, garantiu, já estão criadas, relativamente a questão da conservação da vacina e a sua distribuição. Aliás, referiu o ministro da Saúde, estes factores foram importantes para que Cabo Verde estivesse neste primeiro grupo onde a vacina irá chegar.

“Prevê-se vacinar cerca de 20% da população. Assim, a nossa previsão é que dentro do mecanismo covax, tenhamos 200 e tal mil vacinas. Esta vacina não virá de uma só vez. Será fornecida gradualmente”, explicou.

Questionado sobre quando é que se vai conhecer o plano de vacinação, para que as pessoas saibam quem são os grupos prioritários e que como é que vai ser feita a vacinação, para evitar alguns erros que se está a conhecer em alguns países, Arlindo do Rosário respondeu que “muito em breve”, provavelmente ainda durante este mês de Fevereiro.

“O plano está praticamente concluído. É evidente que há uma outra parte do plano, que é a parte operacional (…) saber que vacinas que irão chegar e como é que serão distribuídas. Temos que ter essa certeza, para fechar definitivamente o plano. De todo o modo, é algo que está praticamente fechado. O plano nacional em breve será apresentado”, finalizou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,10 fev 2021 7:49

Editado porAndre Amaral  em  19 jun 2021 23:21

pub.
pub.
pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.