Centro de hemodiálise permitiu regresso de 50 doentes a Mindelo

PorExpresso das Ilhas, Lusa,1 jun 2021 14:03

Centro de hemodiálise foi inaugurado em 19 de Janeiro deste ano
Centro de hemodiálise foi inaugurado em 19 de Janeiro deste ano

O centro de hemodiálise do Hospital Baptista de Sousa, cofinanciado por Portugal, permitiu o regresso para tratamento a São Vicente de mais de 50 pacientes em cinco meses.

"Estamos num processo para receber mais 32 doentes. Os pacientes não estão só na Praia, há outros que se encontravam fora do país que querem regressar", explicou à Lusa Vera Monteira, enfermeira superintendente do Hospital Baptista de Sousa, no Mindelo.

A responsável acrescentou que 51 pacientes já regressaram e estão a ser tratados no centro de hemodiálise, que serve as ilhas do Barlavento.

Inaugurado em 19 de Janeiro deste ano, este centro resulta de uma parceria do Governo cabo-verdiano com o Instituto Camões para evitar evacuações médicas de doentes para o exterior do país, nomeadamente Portugal, ou para a Praia, para a realização de hemodiálise, e permitirá tratar 40% dos doentes cabo-verdianos.

Segundo o diretor clínico do hospital, Paulo Almeida, a nova unidade está a afirmar-se como uma mais-valia do serviço aos pacientes da região de Barlavento, simplificando parte do processo de tratamento.

"Tínhamos muitos doentes que eram da área de Barlavento e que praticamente tiveram de mudar as suas vidas para poderem fazer a hemodiálise na Praia ou fora do país. Neste sentido, foi muito bom para as famílias e para os doentes", explicou o diretor clínico, em declarações à Lusa.

Para a chegada dos outros pacientes, a instituição está neste momento a qualificar os funcionários e, de acordo com a enfermeira Vera Monteira, a aproveitar neste processo a experiência dos profissionais na cidade da Praia, que já lidam com este tipo de tratamento há mais tempo.

"Veio um enfermeiro do Hospital Agostinho Neto [Praia] que está a apoiar-nos na formação dos enfermeiros de cá. Isso já estava estipulado para quando o centro estivesse a funcionar e tivemos ainda que recrutar outros nove enfermeiros porque aqui havia apenas quatro destes profissionais ligados ao serviço de hemodiálise", contou a enfermeira, acrescentando que todos os 13 enfermeiros estão a receber a formação de quatro semanas.

O centro de hemodiálise representa um investimento de 210 milhões de escudos, financiado pelo Governo cabo-verdiano e pelo instituto Camões (em 36%), tendo uma capacidade de tratamento de 19 postos normais e três especiais, com possibilidade de realizar a diálise, quando em pleno funcionamento e num único turno, a 35 doentes.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,1 jun 2021 14:03

Editado porAndre Amaral  em  27 out 2021 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.