75 pessoas estão internadas nos hospitais com COVID-19

PorDulcina Mendes,17 jan 2022 19:16

​Com o aumento de casos nas últimas semanas, a nível nacional, há 75 pessoas internadas nos hospitais. Do total de internados 15 pessoas inspiram cuidados. Informação avançada hoje pelo Director Nacional de Saúde, Jorge Noel Barreto, na habitual conferência de imprensa sobre a situação epidemiológica no país.

Segundo Jorge Noel Barreto, das 75 pessoas que se encontram internadas nos hospitais, 15 inspiram mais cuidados, o que representa uma taxa de 20% dos internados.

“No Hospital Agostinho Neto na Praia estão 15 pessoas internadas, sendo que 6 encontram-se numa situação que inspira mais cuidados. No Hospital Baptista de Sousa em São Vicente há 18 internados e 3 estão em situação crítica, no Hospital Santa Rita Vieira 18 pessoas internadas e 4 numa situação mais grave, no Hospital Ramiro Figueira 1 internado e está estável, no Hospital São Francisco de Assis 12 doentes e 1 numa situação que inspiram mais cuidado e no Hospital João Morais, em Santo Antão, há 11 pessoas internadas, sendo que uma inspira mais cuidado”, indica.

Jorge Noel Barreto sublinhou que a taxa de ocupação hospitalar neste momento é de 86 %, mas que cerca de 80% são de pessoas que se encontram numa situação mais estável.

“De realçar que das pessoas que se encontram internadas 27 não estão vacinadas, o que representa 36 %, o que é uma taxa bastante considerável, tendo em conta que nesta altura do campeonato era expectável que pelo menos uma grande parte da população estivesse vacinada. Aqui acabamos por constatar que, de facto, quem não está vacinado acaba por ter mais chance de internar e de ter complicações por causa da COVID-19”, assegura.

Em termos de óbitos disse que de 10 a 16 deste mês, houve mais 14 mortes por COVID-19. “Nas últimas semanas tivemos muitos óbitos e entendemos fazer uma análise um pouco mais detalhada a esses óbitos. Tivemos um total de 14 óbitos, sendo que na semana passada tínhamos dito que tinha havido 11 óbitos por causa da COVID-19. Nesta última semana de 10 a 16 de Janeiro tivemos mais 14 óbitos, por causa da COVID-19, 9 do sexo masculino e 5 feminino”, conta.

Segundo o Director Nacional de Saúde, a média de idade dessas pessoas que faleceram por COVID-19 é de 78 anos o que quer dizer que a maior parte das pessoas que morreram são pessoas com mais de 60 anos de idade. Desses óbitos apenas duas pessoas tinham idade inferior a 60 anos, o mais novo tinha 57 anos e a mais idosa 98”.

Jorge Barreto sublinhou que a maior parte dessas pessoas também apresentavam outros problemas de saúde, o que acaba por complicar a sua situação clínica. “57% Tinham problemas cardiovasculares, doenças cardíacas, hipertensão e outros problemas. 29% com diabetes e 14% com doença renal crónica. Das pessoas que faleceram nesta última semana metade estava vacinada e a outra não. Vemos de facto que aqui a vacinação protege, mas vemos que metade das pessoas que estavam vacinadas acabaram por falecer, mas isso como já dissemos, também tem a ver com as outras doenças de base que a pessoa apresenta e que acabam por dificultar a evolução embora estejam vacinadas”.

Por isso lembrou que é importante que as pessoas que têm mais de 60 anos e com doenças crónicas estarem vacinadas como forma de estarem muito mais protegidas e para reduzir esse risco de serem internadas caso tiveram COVID-19, ou então de virem a falecer por causa desta doença.

O país passa a contabilizar 2445 casos activos 51509 casos recuperados, 376 óbitos, 28 óbitos por outras causas e 9 transferidos, perfazendo um total de 54367 casos positivos acumulados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,17 jan 2022 19:16

Editado porAndre Amaral  em  28 jun 2022 23:28

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.