​Cabo Verde condena “veementemente” violentos ataques às instituições democráticas do Brasil

PorExpresso das Ilhas,9 jan 2023 0:14

O Presidente da República, José Maria Neves, condenou neste domingo os "actos violentos antidemocráticos” que aconteceram no Brasil.

“Acompanho com enorme preocupação os acontecimentos em Brasília, condeno veementemente os actos violentos antidemocráticos e manifesto a minha solidariedade e apoio ao Presidente Lula da Silva e às autoridades legítimas da República Federativa do Brasil”, escreveu José Maria Neves, numa mensagem divulgada na sua página na rede social Facebook.

Por seu lado, o Governo de Cabo Verde também condenou “veementemente os violentos ataques perpetrados” neste domingo contra as instituições democráticas da República Federativa do Brasil.

Num comunicado enviado à nossa redacção, o Governo disse que manifesta a sua total solidariedade para com a Presidência da República, o Congresso e o Supremo Tribunal Federal do Brasil, e apela ao rápido regresso à normalidade, no estrito respeito pela ordem constitucional.

Brasil

No Brasil, o líder do Partido Liberal (PL), força política de Jair Bolsonaro, demarcou-se da "vergonha" da invasão dos apoiantes do ex-presidente brasileiro às sedes dos poderes, num dia que apelidou como "triste para o Brasil".

Num vídeo publicado este domingo, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, presidente do Partido Liberal do ex-presidente Jair Bolsonaro, assegura que os responsáveis pelo ataque de domingo às instituições em Brasília "não representam" Bolsonaro.

"Hoje é um dia triste para o Brasil. Todos os eventos que realizámos após as eleições em frente ao quartel foram um exemplo de educação, confiança e brasilidade", disse o líder da PL, aludindo aos acampamentos de manifestantes para reclamar uma intervenção das Forças Armadas para impedir a posse de Luiz Inácio Lula da Silva como Presidente do Brasil, após a vitória na segunda volta das eleições presidenciais sobre Jair Bolsonaro, que procurava a sua reeleição para um segundo mandato.

Já a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, afirmou que a instituição "não se deixará intimidar por actos criminosos e de delinquentes infensos [hostis) ao estado democrático de direito" após a sua sede, em Brasília, sofrer ataques de 'bolsonaristas'.

"O edifício-sede do STF, património histórico dos brasileiros e da humanidade, foi severamente destruído por criminosos, vândalos e antidemocratas. Lamentavelmente, o mesmo ocorreu no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto. As sedes dos três poderes foram vilipendiadas", pode ler-se no comunicado assinado por Weber.

"O Brasil viveu neste domingo - 8 de Janeiro de 2023 - uma página triste e lamentável de sua história, fruto do inconformismo de quem se recusa a aceitar a democracia", acrescentou.

O Presidente brasileiro decretou a intervenção federal em Brasília depois de centenas de apoiantes do ex-presidente Jair Bolsonaro terem invadido e vandalizado o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF), sedes dos poderes legislativo, executivo e judicial.

Na sequência da invasão às sedes dos três poderes em Brasília, pelo menos 150 manifestantes radicais foram detidos, indicaram fontes oficias.

De acordo com o jornal O Globo, os detidos foram encaminhados para o Departamento de Polícia Especializada da Polícia Civil no Distrito Federal. 

Pelo menos 30 dos manifestantes radicais foram detidos em flagrante dentro do Senado Federal.

De acordo com os meios de comunicação locais, os detidos devem responder pelos crimes de dano ao património, de invasão de prédios públicos, entre outros.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,9 jan 2023 0:14

Editado porDulcina Mendes  em  4 jun 2023 23:28

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.