Ministério da Saúde explica que recém-nascidos no HBS poderão ter falecido por sepse neonatal tardia

PorSheilla Ribeiro,5 jun 2023 12:33

1

O Ministério da Saúde explicou hoje que os cinco recém nascidos falecidos no hospital Baptista de Sousa (HBS), em São Vicente, poderão ter falecido por sepse neonatal tardia, uma infecção generalizada que ocorre após 72 horas de vida.

Segundo a comissão de inquérito, a grande maioria das gestantes tinha uma gravidez com risco aumentado para parto pré-termo, pelos antecedentes, e foram seguidas nas estruturas primarias de saúde e todas tinham indicação para seguimento na consulta de alto risco para grávidas.

O relatório que foi apresentado pela Gineco-obstetra, Iolanda Landim, aponta que a assistência pré-natal foi cumprida; a qualidade e segurança da assistência durante o internamento do ponto de vista técnico e humano das mães e dos recém-nascidos foi razoavelmente satisfatória.

“São recém-nascidos prematuros e prematuros extremos que poderão ter falecido por sepse neonatal tardia”, disse.

Entretanto, o relatório recomenda reforçar acções de capacitação na área da comunicação, humanização, liderança dos profissionais; elaborar um plano anual de actualização/supervisão do cumprimento dos protocolos nacionais.

Também é recomendado ao HBS promover a cultura de discussão interna dos óbitos não esperados e dos casos de não conformidade; promover a integração do psicólogo nas equipas, melhorando a assistência aos pacientes.

“Melhorar a articulação e a interface entre os serviços da atenção primária, secundária e terciária; Reforço a nível dos recursos humanos por forma a melhorar a qualidade na prestação dos cuidados; Melhorar a comunicação entre o serviço e os pacientes no sentido a tonar mais eficaz e eficiente”, sugeriu.

A sepse neonatal é um conjunto de sinais e sintomas resultado de um quadro de infecção ou isolamento de um patógeno no sangue de um recém-nascido, com pelo menos até 28 dias de vida.

Para essa investigação, o Ministério da Saúde informou que nomeou uma equipa de especialistas nas áreas de gineco-obstetrícia, neonatologia e enfermagem, composta por profissionais do Hospital Agostinho Neto e da Direcção Nacional da Saúde.

O caso foi noticiado em Maio pelo jornal local Mindelinsite, indicando que os cinco recém-nascidos faleceram no espaço de duas semanas no Hospital Dr. Baptista de Sousa, que também abriu um inquérito para apurar as causas.

Em Fevereiro, a directora do Serviço de Neonatologia do HBS, Cátia Costa, confirmou a morte de outros cinco bebés recém-nascidos no mês anterior, esclarecendo que as causas foram prematuridade e malformações congénitas.

As explicações foram dadas após conferência de imprensa PAICV, a denunciar um “aumento crescente” de mortes de recém-nascidos naquela unidade hospitalar na segunda ilha mais populosa do país.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,5 jun 2023 12:33

Editado porAndre Amaral  em  24 fev 2024 23:28

1

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.