SINDPROF considera que reabilitação das escolas não é suficiente para um bom ano lectivo

PorSheilla Ribeiro,1 set 2023 16:04

O SINDPROF, Sindicato Democrático dos Professores, considerou que a reabilitação das escolas, embora louvável, não é suficiente para um sistema educacional eficaz e destacou a importância crucial de valorizar o capital humano da educação.

“O Sr. Ministro da Educação disse, hoje, no Jornal das 13 horas na RCV que tudo está preparado para um bom arranque do ano letivo, uma vez que, no seu entender já foi concluído o processo de transferência/colocação dos novos professores, bem como já se investiu mais de 130 milhões de escudos na melhoria das infraestruturas educativas. Perguntamos, se isto é suficiente para dizer que teremos um bom arranque do ano letivo 2023/2024? “, questionou o sindicato no Facebook.

O sindicato aplaude os esforços para reabilitar muitas escolas que enfrentavam sérios problemas de degradação, mas enfatiza que é crucial olhar para o capital humano na educação, os professores.

Também refere à desmotivação e frustração, destacando a falta de publicação de um cronograma para resolver as pendências acordadas em reuniões com o Ministro da Educação.

Diante dessas preocupações, o SINDPROF anuncia planos de adoptar novas formas de luta, já que a educação “parece não ser uma prioridade nas políticas governamentais”.

Nesse sentido, o SINDPROF menciona que pedidos frequentes de licenças sem vencimento têm inundado os Serviços dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, reflectindo o descontentamento da classe.

A ausência de actualizações salariais na classe docente por mais de uma década contrasta com as promoções e progressões observadas em outras classes profissionais do Estado.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,1 set 2023 16:04

Editado porAndre Amaral  em  21 mai 2024 23:28

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.