Lei no álcool: "O que o país tem a ganhar é de longe muito mais do que eventuais perdas"- Arlindo do Rosário

PorSheilla Ribeiro (estagiária),4 out 2019 12:38

Arlindo do Rosário
Arlindo do Rosário

A nova lei de álcool, que entra em vigor este sábado, 5 de Outubro, é um instrumento intersectorial que irá permitir ao país libertar-se do alcoolismo, segundo o ministro da Saúde.

Arlindo do Rosário que falava aos jornalistas esta sexta feira-feira, à margem do colóquio "Alcoolismo: Suas consequências para a População e a Protecção da Saúde", salientou que a nova lei não descrimina e que vai exigir adaptações no sentido daquilo que é o objectivo principal.

“Não há situações em que vamos dizer: não vamos fazer assim, porque esse sector aqui vai ser prejudicado. Estamos a investir naquilo que o país ganha em termos financeiros, económicos, em termos de saúde”, assegurou.

Conforme adiantou, está-se a fazer contas em relação a eventuais perdas e não àquilo que "o país perde” e a sociedade “vem perdendo” a nível dos custos da saúde e dos anos potenciais de vida perdida, que estão directamente relacionados com o uso abusivo de álcool.

Por isso, apontou que o problema não é a lei, “que pode ser ajustada”, mas sim o alcoolismo em Cabo Verde.

“Esse trabalho não começou agora, não termina agora e vai ter que realmente continuar a divulgação, para esclarecer eventuais dúvidas em aspectos que precisam ser melhor esclarecidos, regulamentar situações que precisam ser regulamentadas. Esse é um trabalho em processo”, garantiu.

Arlindo do Rosário frisou que a nova lei de álcool apresenta um conteúdo pedagógico “muito grande” e que elimina situações que promovem o uso abusivo de álcool. Prosseguindo, disse que a nova lei é um instrumento intersectorial que irá permitir ao país libertar-se do alcoolismo.

O colóquio, subordinado ao tema: “O Alcoolismo: Suas Consequências para a População e a Protecção da Saúde" é uma iniciativa promovida pela Rede Parlamentar para a População e Desenvolvimento (RPPD) e pela Comissão de Coordenação do Álcool e outras Drogas (CCAD) em parceria com a Direcção Geral da Educação (ME), a Câmara Municipal da Praia, a Presidência da República, através da Campanha “Menos álcool, Mais Vida”, a Inspecção Geral de Actividades Económicas (IGAE), o Instituto Cabo-verdiano da Igualdade e Equidade do Género (ICIEG) e o apoio do Presidente da Assembleia Nacional.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro (estagiária),4 out 2019 12:38

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 out 2019 14:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.