Governo quer fazer de 2022 o ano da retoma da economia e do turismo

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,5 out 2021 7:11

O ministro das Finanças, Olavo Correia, afirmou esta segunda-feira que o Governo quer fazer de 2022 o ano da retoma da economia e do turismo, salientando que Cabo Verde terá que reinventar e criar novos paradigmas para atingir novos patamares.

Olavo Correia fez estas afirmações durante a cerimónia de encerramento do projecto “Resposta à crise da Covid-19 e recuperação do sector do Turismo em Cabo Verde”, enquadrado no programa Apoio à competitividade na África Ocidental – Cabo Verde, realizada hoje na cidade da Praia.

Na sua intervenção, o governante realçou que Cabo Verde enquanto pequeno país insular em desenvolvimento, é um dos países mais impactados pela pandemia da covid-19 nos diferentes sectores de intervenção, lembrando que o sector do turismo foi muito afectado.

É neste sentido que, prosseguiu, o Governo mobilizou a sociedade civil, poder local, sector privado e as ONG e os parceiros internacionais no enfrentamento desta pandemia, tendo sido registados resultados positivos que permitiram salvar vidas, empresas, empregos e preservar a saúde e famílias.

“Juntos criamos as condições através do sucesso que obtivemos com o plano de vacinação, criamos as condições para que possamos fazer de 2022 o ano da retoma da economia mais digital, verde azul e inclusiva” declarou, tendo realçado que Cabo Verde tem cumprido “bem” o seu plano de vacinação contra a covid-19 e o está a preparar para a retoma do turismo.

No entanto, frisou, a retoma económica tem de ser uma retoma económica diferente e que Cabo Verde não pode continuar a desenvolver as mesmas acções como as de 2019, reforçando a necessidade de se apostar numa economia mais digital, verde, azul e inclusiva.

“Esta oportunidade de construirmos uma economia sustentável, com novos paradigmas, esta oportunidade não pode ser de forma alguma desperdiçada, este é o momento para fazermos diferentes, aprender com o passado, fazer mais rápido e melhor”, desafiou, considerando que a pandemia da covid-19 confirmou, por outro lado, a sensibilidade dos parceiros de Cabo Verde que prontificaram em ajudar o país nos domínios sanitários, económicos e social.

Olavo Correia destacou, por outro lado, que o evento de encerramento do projecto “Resposta à crise da Covid-19 e recuperação do sector do Turismo em Cabo Verde” assinala uma das melhores práticas de sucesso de parceria entre o Governo, União Europeia e o PNUD, salientando que o projecto de resposta à covid-19 foi convertido num programa para mitigar o impacto da covid-19.

Financiado pela União Europeia no valor de 4,9 milhões de euros, no quadro do 11º Fundo Europeu para o Desenvolvimento, e executado pelo PNUD em parceria com o Governo de Cabo Verde.

O projecto teve como objectivo mitigar o impacto socioeconómico da pandemia de covid-19 nos grupos economicamente mais vulneráveis (trabalhadores informais e do REMPE) e apoiar a recuperação do sector de turismo por via da capacitação de actores-chave do sector do turismo e o aumento da competitividade das médias, pequenas e microempresas por meio da certificação de qualidade e da integração da cadeia de abastecimento.

O projecto teve duas componentes, sendo que na primeira, 24.559 trabalhadores do sector informal. A segunda componente teve como foco a formação e capacitação dos actores-chave e intervenientes direcctos e indiretos do sector do turismo para melhorar os serviços e a competitividade.

Durante essa fase, foram capacitados 2500 profissionais e intervenientes directos e indirectos do sector do turismo a nível nacional com as ferramentas necessárias para enfrentarem a nova era do turismo com competências específicas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,5 out 2021 7:11

Editado porAndre Amaral  em  7 dez 2021 23:20

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.