​Câmara Municipal garante apoio às famílias afectadas pelas chuvas

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,18 set 2020 15:29

José carlos da Luz e Rodrigo Martins
José carlos da Luz e Rodrigo Martins

A Câmara Municipal de São Vicente garante que desde a primeira hora está no terreno em contacto com as famílias mais afectadas pelas fortes chuvas do último fim-de-semana. Uma maior atenção foi dada às localidades com construções espontâneas, afirmou hoje o presidente substituto, Rodrigo Martins.

A posição do autarca foi tornada pública, em conferência de imprensa onde refutou as acusações do presidente da Comissão Política Regional do PAICV, que, na quarta-feira, responsabilizou a edilidade pela situação provocada pelas últimas cheias.

“Convém dizer que desde a primeira hora a Câmara Municipal de São Vicente tem diversas equipas no terreno, entre outras da Protecção Civil, do saneamento, da área social, da rede viária, da fiscalização, que estão em contacto com as famílias mais afectadas pelas intensas chuvas. O sentido de aproveitamento meramente eleitoralista do PAICV, com forte propensão demagógica e populista, que tem constituído, na verdade, a sua linha orientadora, não vai fazer escola”, diz.

Quanto às acusações de Alcides Graça, segundo as quais, a Câmara Municipal tem contribuído para o agravamento das condições urbanísticas da ilha através da criação de lotes nas zonas de risco, Rodrigo Martins explica a edilidade não faz loteamento nas ribeiras nem nas encostas. Afirma que o que existe são várias casas clandestinas colocadas em zonas de risco.

“São planos urbanísticos estudados e analisados pelo gabinete técnico da Câmara Municipal. O que nós temos realmente são várias casas clandestinas colocadas em zonas de risco. Isso é e sempre foi uma batalha da Câmara Municipal. Muitas situações já foram minimizadas através da atribuição de casas sociais, mas sabemos que há um défice entre a procura e a oferta das casas sociais, mas tem sido um trabalho contínuo da Câmara Municipal de São Vicente”, refere.

O presidente substituto diz que a Câmara Municipal, juntamente com o Governo está a trabalhar para, paulatinamente debelar o problema habitacional na ilha do Monte Cara. Rodrigo Martins confirma que pelo menos 25 famílias foram realojadas em escolas, mas que há um plano do executivo de Ulisses Correia e Silva no sentido de apoiar na reconstrução da ilha depois das últimas chuvas.

“Esse apoia também é extensivo à questão do realojamento. Obviamente que nós estamos a trabalhar um plano nesse sentido para, da melhor forma possível apoiar essas pessoas”, assegura.

Para as pessoas que estão realojadas, a autarquia e o Governo equacionam ceder casas alugadas, por um período de pelo menos três meses, já a partir do final da próxima semana. Outra possibilidade é fazer intervenções em algumas habitações para voltar a acolher as famílias, nomeadamente através do programa ‘isdob compo bo casa’.

Sobre a drenagem das águas pluviais e da correcção torrencial, também criticado pelo PAICV, a câmara garante que o sistema deu resposta adequada aos principais problemas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,18 set 2020 15:29

Editado porSara Almeida  em  4 mai 2021 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.