Impressionada com Cabo Verde, Mel Mattos quer voltar ao AME

Mel Mattos
Mel Mattos

A cantora e compositora brasileira Mel Mattos, que esteve recentemente na Cidade da Praia, em actividades paralelas ao Atlantic Music Expo (AME) 2019, disse que poder actuar em Cabo Verde superou as suas expectativas e que por isso deseja voltar, para cantar no AME e Kriol Jazz de 2020.

Pela primeira vez em Cabo Verde, Mel Mattos, que veio divulgar o seu trabalho autoral “Démondé?!” afirmou que foi “super” bem recebida e que pretende voltar com a banda.

“Apresentar um trabalho que as pessoas ainda não conhecem aqui e ter a receptividade que eu tive, estou saindo com a cabeça borbulhando de ideias, de vontade de voltar e fazer, quem sabe, algum intercâmbio mesmo, levar alguma música daqui, até incorporar no meu tour do Démodé?! ou fazer parcerias, enfim”, relatou.

A artista brasileira afirmou que "Cesária Évora sempre será um ícone”, mas foi Mayra Andrade quem a trouxe para “mais perto de Cabo Verde” e a fez deparar-se com “diversas vertentes” dentro da música, mais precisamente na morna e no funaná.

“Estou amando receber todas essas informações e essa cidade [Praia] é tão rica, tem um património cultural da música para a gente enquanto músico. Vou levar a bagagem cheia de referências. Ao pensar em Cabo Verde, sempre me vinha à cabeça as músicas, então agora volto ainda mais apaixonada pela música e pelas pessoas”, completou.

Para Mel Mattos, há uma “ligação latente” entre a música cabo-verdiana e brasileira, sendo que a música cabo-verdiana tem uma “importância fundamental” na ligação entre as duas culturas.

“Essa malemolência da música cabo-verdiana, essa proximidade musical tanto do ritmo, quanto das letras mas principalmente o amor, é algo que nos deixa muito próximos. O amor do cabo-verdiano pela música. Aqui a cada esquina se escuta música, se ouve música ao vivo, se vivência a música e é valorizada. No Brasil nós somos musicais também”, frisou.

Fusão e conexões

Quanto à sua música, Mel Mattos referiu que o seu trabalho autoral “Démodé?!” tem uma fusão de ritmos brasileiros e de outros que recebe do mundo.

“O meu trabalho é muito baseado nessa fusão de ritmos, de sentimentos, de quotidiano. Tem a brasilidade mas, ao mesmo tempo, essa contemporaneidade. Esse momento que a gente vive com muitas conexões", explica.

Mel Mattos, que canta profissionalmente desde os 13 anos de idade, viaja por ritmos como o pop rock, o chorinho, o samba e MPB, entre outros. Em 2010 lançou o seu primeiro trabalho autoral, “O retratista”. Em 2017 lançou “Démondé?!”, que apresentou neste AME 2019.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro (estagiária), Sara Almeida,16 abr 2019 7:28

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  12 nov 2019 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.