​Guterres pede "mais unidade e coragem" para ultrapassar desafios mundiais

PorExpresso das Ilhas, Lusa,16 jan 2018 17:30

António Guterres
António Guterres(Reuters)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apresentou hoje na Assembleia Geral as suas 12 prioridades para o ano de 2018, dizendo que é necessária "mais unidade e coragem" para ultrapassar os grandes desafios mundiais.

Precisamos de mais unidade e coragem para enfrentar os mais urgentes testes de hoje, acalmar os medos das pessoas que servimos, e colocar o mundo no caminho de um futuro melhor", disse Guterres.

O português enumerou uma longa lista de prioridades, incluindo a promoção de "um novo acordo para uma globalização justa", dizendo que "não há nada inevitável quanto à pobreza, desigualdade ou distribuição desnivelada dos benefícios da globalização".

O secretário-geral disse que era preciso multiplicar as acções contra as mudanças climáticas, captar melhor os benefícios da migração e da tecnologia, ao mesmo tempo que protege contra os seus perigos.

"A migração é um fenómeno positivo global e os países precisam criar mais oportunidades para a migração legal, bem como para as pessoas viverem e trabalharem com dignidade nos seus países", afirmou Guterres.

O diplomata referiu ainda a desnuclearização da península coreana, a situação do Médio Oriente, o fortalecimento da parceria entre a ONU e a União Africana, e a remoção dos obstáculos que permitem a continuação de conflitos na Europa.

O português disse também que pretende manter as atenções da ONU no contra terrorismo, no fortalecimento das suas missões de paz, na reversão do êxodo dos Rohingya em Myanmar e em ultrapassar a falsa contradição entre direitos humanos e soberania nacional.

"Todas estas prioridades requerem o empoderamento de mulheres e meninas, que são desproporcionalmente afectadas por muitos destes problemas", explicou Guterres.

No seu discurso, o português disse também que, na segunda-feira, tinha alcançado antes do prazo, uma das suas promessas: conseguir a paridade de género nas 44 posições sénior de gestão da ONU.

António Guterres sublinhou ainda que "mesmo confrontados com ventos contrários e ódio", todos "temos de fazer cumprir os valores da Carta da ONU".

"Toda a gente, em todo o lado, pode fazer algo para tornar o nosso mundo mais seguro, sustentável e protegido", disse o secretário-geral.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,16 jan 2018 17:30

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  13 dez 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.