2 mil milhões de pessoas não têm acesso a água potável em casa

PorExpresso das Ilhas, ONU News,22 mar 2019 15:18

​O acesso à água e ao saneamento foi reconhecido internacionalmente como um direito humano, em resolução aprovada pela Assembleia Geral da ONU em 2010. Mesmo assim, mais de 2 mil milhões de pessoas vivem sem água potável nas suas casas.

Este 22 de Março marca o Dia Mundial da Água. O tema da data deste ano, que procura chamar a atenção para a questão, é “Não deixar ninguém para trás.”

Em mensagem para marcar a data, o secretário-geral da ONU lembra que a "agua é vital para a sobrevivência e, em conjunto com o saneamento, ajuda a proteger a saúde pública e ambiental". 

Para António Guterres, "os nossos corpos, as nossas cidades e a nossa indústria, a nossa agricultura e os nossos ecossistemas, todos dependem dela". O chefe das Nações lembra que o acesso à água "não deveria ser negado a ninguém".

O último Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos explorou os sinais de exclusão e investigou formas de superar as desigualdades.

Em entrevista à ONU News, o relator especial sobre o direito à água e ao saneamento básico, Léo Heller, explica que entre as dificuldades para a garantia deste recurso natural a todos, estão os investimentos limitados e a “falta de compromisso político dos países e dos governos”. A água e o saneamento também não são reconhecidos como direitos humanos fundamentais.

“Quando governos, países não assumem a água e o esgoto sanitário como direitos humanos fundamentais, os que são deixados para trás são exactamente aqueles que vivem em situação mais vulnerável, migrantes, refugiados, população rural, população em situação de rua, minorias étnicas, minorias linguísticas, minorias religiosas. E essa população é justamente aquela que forma os grupos populacionais que também não têm acesso a outros direitos humanos básicos, como os direitos à saúde, os direitos à educação, o direito à moradia e vivem, portanto, em situação de pobreza", comenta.

Segundo o relatório, uma em cada três pessoas não tem acesso a serviços seguros de água e mais da metade, em torno de 60% da população mundial, não tem acesso a serviços seguros de saneamento. Metade das pessoas do planeta que bebem água retirada de fontes não seguras vive em África.

image

Na África Subsaariana, apenas 24% da população têm acesso à água potável segura. Na região, a responsabilidade de 'ir buscar água' recai principalmente sobre mulheres e meninas, muitas das quais gastam mais de 30 minutos em cada viagem.

Segundo a ONU, o direito humano à água dá direito a todos, sem discriminação, a água suficiente, segura, aceitável, fisicamente acessível e acessível para uso pessoal e doméstico. Isto inclui usar a água para fins como beber, limpeza pessoal, lavagem de roupas, preparação de alimentos e higiene pessoal e doméstica.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, ONU News,22 mar 2019 15:18

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  20 jul 2019 23:22

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.