Polícia Nacional em greve. Governo avança com requisição civil

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,27 dez 2017 8:55

​A Polícia Nacional inicia hoje uma greve de três dias. A paralisação, que abrange todo o território nacional, começou às 8 horas de hoje e termina à mesma hora do dia 30. Em causa, o não cumprimento do Ministério da Administração Interna do acordo assinado em Março deste ano.

Os agentes reivindicam actualização salarial, redução da carga horária, introdução de regulamento de trabalho, pagamento de subsídio de condição policial ao pessoal policial da Guarda Fiscal, com efeito retroactivo. Da lista de exigências consta ainda o "pagamento de 25% sobre vencimento de subsídio de condução ao pessoal da PN que exerce, cumulativamente, as funções de condutores auto e moto”.

Em entrevista esta manhã à Rádio Morabeza, o presidente do Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL), José Barbosa explicou que no último encontro, que aconteceu ontem, entre o SINAPOL, a Direcção Nacional da Polícia, o Ministério da Administração Interna e a Direcção-Geral do trabalho, não foi possível chegar a entendimento nem em relação aos pontos em cima da mesa, nem sobre os serviços mínimos.

“Houve um encontro para se chegar a entendimento. Isto não foi possível, nem em relação aos pontos reivindicados, nem também em relação aos serviços mínimos. A greve inicia a partir das 8 horas de hoje [27], até às 8 horas do dia 30”, explica à Rádio Morabeza.


Governo responde com requisição civil

O facto é que o executivo determinou a requisição civil que visa assegurar a prestação dos serviços considerados “indispensáveis”.

O Governo justifica a medida pelo facto de, segundo diz, nesta quadra festiva, tal como acontece todos os anos, decorrer a operação “Natal e Fim de Ano em segurança” da Polícia Nacional, que envolve todos os efectivos operacionais, bem como os efectivos que normalmente desempenham funções burocráticas na Polícia Nacional.

Em entrevista ontem a noite à Televisão de Cabo Verde, o Ministro da Administração Interna estranhou a concretização da greve na Polícia Nacional. Paulo Rocha disse que 2017 foi o ano em que o executivo fez o maior investimento na Polícia Nacional, com actualização da grelha e índice salarial, progressões e promoções, num montante global de 205 mil contos.

O ministro da Administração Interna garante que o Governo fará de tudo o que for necessário para garantir a segurança dos cidadãos nos próximos dias.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,27 dez 2017 8:55

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.