Sindicato satisfeito com greve em São Lourenço dos Órgãos

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,21 fev 2018 19:57

O presidente do Sindicatos da Indústria, Agricultura, Comércio e Serviços Afins (SIACSA) faz um balanço positivo dos dois dias de greve dos trabalhadores da Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos, na ilha de Santiago. Os trabalhadores pedem a reposição dos salários, cortados pela edilidade, em Agosto de 2017. O sindicado diz que, se é necessário cortar despesas com o pessoal, então que se usem os mecanismos legais para o efeito.

Gilberto Lima defende que a autarquia está a agir de forma inconstitucional.

“Nós continuamos a dizer que esta situação nos parece de todo inconstitucional, porque o salário mínimo não se pode reduzir, tanto mais que os trabalhadores nem sequer recebiam o salário mínimo da função pública. Recebiam onze mil escudos. De todo o modo, vamos jogar todas as nossas cartas”, afirma à Rádio Morabeza.

A decisão do presidente da Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos afecta um cada três funcionários da autarquia (195 dos cerca de 300 trabalhadores) e reverte uma medida implementada pela anterior gestão. Para Gilberto Lima, há outras formas de resolver o problema.

"Tratando-se de um município pobre, deveria fazer-se a contenção de recrutamento de  pessoal mas, estando recrutados, e a exercerem funções, a culpa não é dos trabalhadores. Neste momento, os trabalhadores estão cobertos de razão, até porque manda a inteligência que os trabalhadores não deveriam ver reduzidos os seus salários, mas sim despedidos e de acordo com a lei”, indica.

Segundo Gilberto Lima, os trabalhadores deverão dar entrada nos tribunais com um pedido para reverter a decisão do edil do município do interior de Santiago, bem como exigir o cumprimento do Plano de Cargo e Carreira e Salários (PCCS).

Este semana, o município de São Lourenço dos Órgãos e a anterior gestão da autarquia, liderada por Victor Baessa, também foram notícia pela revelação das conclusões de um relatório elaborado pela Inspecção Geral de Finanças que confirma a existência de várias irregularidades e ilegalidades na gestão municipal, desde 2014.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,21 fev 2018 19:57

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 nov 2018 3:22

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.