Navio com migrantes cabo-verdianos resgatado no nordeste do Brasil

PorExpresso das Ilhas,21 mai 2018 11:05

Governo Estadual do Maranhão e Polícia Federal revelaram que navio com migrantes africanos, entre eles cabo-verdianos, foi rebocado, este sábado, 19, por um barco de pesca para o porto de São José de Ribamar, no Maranhão, nordeste do Brasil.

Segundo a Folha de São Paulo, que cita o governo estadual, os 25 migrantes são provenientes de Cabo Verde, Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa. Dois homens, de nacionalidade brasileira, comandavam o navio foram presos em flagrante pelo crime de promoção de imigração ilegal, aponta o jornal online brasileiro UOL.

A identidade dos suspeitos não foi relevada pela PF (Polícia Federal), que abriu inquérito para investigar o caso. Após a detenção em flagrante, os dois homens foram transferidos para um presídio maranhense. "Esse é o caso inédito não só no Maranhão, como suspeito que também o seja em todo o país, já que lei que tipifica o crime de promoção de imigração ilegal entrou em vigor em Novembro", afirma o delegado federal Luís André Almeida que chefia a delegacia de Polícia de Imigração da Superintendência da PF no Maranhão.

Fonte policial revelou ao Folha de São Paulo que os dois brasileiros terão comprado o barco em Cabo Verde com o objectivo de transportar os migrantes para o Brasil. Aquele jornal adianta ainda que parte do dinheiro pago pelos 25 migrantes terá sido usado para a aquisição do navio e que o restante “teria ficado como lucro”.

A viagem, adianta ainda a Polícia Federal, terá durado 35 dias e quando o barco pesqueiro os resgatou tripulantes e passageiros passavam fome há já cinco dias sendo obrigados a racionar a alimentação.

A Capitania dos Portos explicou à Folha de São Paulo que a embarcação onde os 27 homens viajavam esteve durante cinco dias à deriva. “Primeiro o motor falhou. Depois as velas foram danificadas por uma tempestade”, relata aquele jornal na sua edição online.

A Marinha Brasileira, que esteve envolvida nas buscas pela embarcação, relatou que na manhã de sábado tomou conhecimento que uma embarcação estrangeira estaria à deriva a cerca de 60 milhas náuticas (cerca de 110 Km) de São José de Ribamar. A meio da tarde desse dia, a Marinha recebeu a informação que o catamarã Rossana estaria a ser rebocado por um navio pesqueiro que auxiliara os migrantes com água e alimentos.

Em terra, aponta o jornal Estadão, os estrangeiros receberam atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Araçagi, em São José do Ribamar. Em seguida, foram encaminhados para o Ginásio Costa Rodrigues, em São Luiz, onde receberam refeições. Eles devem ficar alojados no local até que seu destino seja definido pelas autoridades brasileiras. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,21 mai 2018 11:05

Editado porAndre Amaral  em  23 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.