Helena Semedo distinguida com Honoris Causa

PorSara Almeida,8 dez 2018 14:17

​Helena Semedo, vice-diretora-geral da FAO, recebeu o doutoramento Honoris Causa, pela Universidade Aberta de Portugal, esta segunda-feira, 3. É a primeira vez que tal distinção é atribuída a uma cabo-verdiana.

Na base desta homenagem está “o percurso singular da economista cabo-verdiana defensora de causas como a luta contra a fome e a pobreza, dando voz às populações e comunidades mais vulneráveis, em especial às mulheres rurais”, destacou a Universidade Aberta, em nota de Imprensa.

Assim, graças a este percurso, Helena Semedo, que foi também a segunda mulher com funções governativas em Cabo Verde, e a primeira mulher africana a assumir responsabilidades de directora-geral adjunta da FAO, tornou-se também a primeira mulher de Cabo Verde a receber este grau.

“Para mim, [a atribuição do grau de Doutora ‘Honoris Causa’] ser a uma mulher tem muito significado, porque sabemos que, não obstante, todos os avanços, as mulheres ainda têm várias barreiras para conseguirem chegar a lugares cimeiros”, sublinhou a “doutora”, em entrevista à Lusa.

A cerimónia de atribuição do grau de doutora Honoris Causa decorreu no Auditório Camões, em Lisboa, na presença de académicos, personalidades portuguesas e cabo-verdianas e da família e amigos da homenageada.

Helena Semedo junta-se assim a nomes já distinguidos com o grau de Doutor Honoris Causa como Aristides Maria Pereira, António Mascarenhas Monteiro, Pedro Pires, José Maria Neves, Onésimo Silveira e ainda Amílcar Cabral, recorda a Inforpress.

Laudatio para a mulher certa, no lugar certo

Para a homenageada é “gratificante ver reconhecido” o seu trabalho e o seu percurso como mulher. E é um percurso rico, um caminho que se cruza com a própria história de Cabo Verde e seus desafios presentes e previstos, nomeadamente a nível ambiental. Um percurso que a Laudatio (elogio à distinguida) proferida pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, destacou, enaltecendo a competência profissional, a dedicação e o humanismo de Helena Semedo.

“Trata-se de uma das cidadãs cabo-verdianas de maior mérito e mais proeminentes, e que mais se tem destacado nas diversas áreas que abraçou: na vida política, social, económica”, considerou o Presidente, que sublinhou ainda a “a capacidade de planear, gerir e executar” inspiradora da agraciada.

Na sua Laudatio, Jorge Carlos Fonseca recordou, por exemplo, a permanente defesa do meio ambiente e da biodiversidade, tanto a nível global como no contexto de vulnerabilidade do continente africano e dos pequenos Estados insulares, da qual Helena Semedo fez bandeira, bem como a sua preocupação com a segurança alimentar. E destacou ainda o seu contributo para a diminuição da pobreza e melhoria da qualidade de vida de milhões de africanos.

O Presidente da República pincelou alguns aspectos do currículo de vida dessa “Cabo-verdiana cidadã do mundo”, formada cerca de uma década depois da independência, e que pertence a “essa geração de jovens licenciados” que teve “nas suas mãos a enorme tarefa de encontrar os caminhos para a viabilidade e o equilíbrio económico das ilhas”. Tarefa que, como se verifica hoje, foi essencialmente bem-sucedida.

Licenciada em Economia, pelo Instituto Superior de Economia, de Lisboa, Helena Semedo iniciou a sua carreira em Cabo Verde, em 1984, integrando, dois anos mais tarde, “o Departamento de Investimentos, no Banco de Cabo Verde, onde seria, também, coordenadora da instalação e modernização das diferentes agências deste banco”.

A par da carreira profissional, teve uma participação política activa, no período de “edificação da nossa jovem democracia e no estabelecimento das bases fundacionais do regime”. Nessa linha, após as eleições de 1991 foi “escolhida para Secretária de Estado das Pescas, do novo governo” do MpD, liderado por Carlos Veiga (que também esteve presente na cerimónia de atribuição do Honoris Causa). Em 1993 foi nomeada Ministra do Desenvolvimento Rural e das Pescas e três anos depois, “passa a chefiar o Ministério do Mar, mantendo as Pescas e assumindo toda a área dos transportes.” Em 1998, assume as pastas do Turismo, dos Transportes e do Mar. É nesse mesmo ano que começa a ter “as primeiras responsabilidades, a nível regional, como presidir o Conselho de Ministros do Comité Inter-Regional para a Seca no Sahel”, e também a “Comissão Sub-Regional das Pescas”. A estas juntam-se várias outras representações.

A experiência acumulada e as provas dadas “catapultaram-na para outras responsabilidades.” Em 2003 integra a FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – como representante desta agência na República do Níger, onde fica até 2008. Nesse ano, muda-se para Accra, no Gana, assumindo ao mesmo tempo funções de Coordenadora para a África Ocidental, e as de Directora-Regional Adjunta e Representante da FAO junto da República do Gana. Em 2009 é nomeada Assistente do Director Geral e Representante Regional para a África”.

Em 2013, começa um nova etapa que se prolonga até hoje, que é de directora-geral adjunta da FAO, com responsabilidades na área do Clima e Recursos Naturais, cargo que acumula com “o papel de ponto focal para as Convenções das Nações Unidas na área do Clima e Ambiente, Instituições de Pesquisa, o CGIAR, ligações com Pequenos Estados”.

“Coordena, ainda, a execução da Agenda 2030 na FAO, o apoio da FAO aos países na aplicação da Agenda 2030 e a ligação com a ECOSOC e o HLPF (High Level Political Forum).”

O presidente terminou o seu elogio, resumindo que “o currículo e a obra realizada por Helena Semedo põem em evidência a sua experiência, a sua capacidade e sobretudo os seus valores: de humanista, de pessoa dedicada ao serviço público, da pessoa certa nos cargos de responsabilidade que ocupou e que actualmente ocupa”. Razões de sobra “para o reconhecimento do doutoramento honoris causa a esta que é uma figura inspiradora para a sociedade cabo-verdiana e para o continente africano”, disse.

Texto originalmente publicado na edição impressa do expresso das ilhas nº 888 de 05 de Dezembro de 2018.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sara Almeida,8 dez 2018 14:17

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  28 ago 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.