​Centro de hemodiálise do Mindelo garante “estabilidade emocional” aos doentes

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,16 jan 2019 17:43

Ana Brito e Teresa Ribeiro
Ana Brito e Teresa Ribeiro(Rádio Morabeza)

O centro de hemodiálise do Mindelo vai, além de tratar, trazer estabilidade emocional aos 63 doentes com insuficiência renal crónica da região do Barlavento, em tratamento no Hospital Agostinho Neto, na cidade da Praia. Disse hoje a directora do Hospital Baptista de Sousa (HBS), Ana Brito.

A responsável hospitalar falava aos jornalistas, na tarde desta quarta-feira, durante a visita da secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, Teresa Ribeiro, ao espaço onde vai ser construído o centro.

“A real importância é não só tratar os nossos doentes que estão afastados das suas famílias, que têm uma grande disrupção em relação à sua vida social, profissional e emotiva. Vai ser uma grande mais-valia e de certeza vai trazer uma grande estabilidade para os nossos doentes com insuficiência renal crónica”, afirma.

Dos 63 doentes renais crónicos da zona norte do país em tratamento no centro de hemodiálise na cidade da Praia, a maioria é de São Vicente e Santo Antão. O custo por paciente é de 4.000 escudos por dia.

O espaço onde vai funcionar o centro de hemodiálise em São Vicente tem uma área de 735 m2, distribuídos por três pisos.

A Governante portuguesa visitou o local e mostrou-se satisfeita com o andamento do projecto e impacto que vai ter na vida dos doentes.

“Saí com a convicção de que o projecto está a avançar rapidamente e que no final do primeiro semestre deste ano teremos aqui um centro de hemodiálise que vai servir todos os habitantes do Barlavento, vai aliviar a pressão que neste momento existe na Praia e, sobretudo, vai mitigar os custos que estão associados à evacuação de doentes para outros hospitais. Os custos não são apenas financeiros, mas familiares, sociais, que têm um efeito muito disruptivo sobre os doentes”, diz.

O centro de hemodiálise vai ficar instalado no espaço onde funcionavam, até agora, cozinha, lavandaria e uma parte dos serviços de estatísticas e informática…

A consignação da obra vai ser feita no dia 26 de Janeiro e os trabalhos devem arrancar logo de seguida, com um período de execução de cinco meses. O projecto está orçado em 201 mil contos, e conta com o co-financiamento do Governo de Portugal, em cerca de 53 mil contos.

A estrutura em São Vicente, com 23 unidades de diálise e com capacidade de tratar até 150 doentes, vai descongestionar o centro na Praia que, neste momento trata 140 pessoas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,16 jan 2019 17:43

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 ago 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.