Acordo de privatização da TACV é "sobremaneira importante", defende MpD

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,1 mar 2019 12:50

1

​A assinatura, hoje, do contrato de compra e venda de 51% das acções da TACV, entre o Governo e a Loftleidir Cabo Verde vai permitir consolidar o hub aéreo do Sal, para além de resolver outros problemas. Posição defendida pelo deputado Emanuel Barbosa (MpD), numa intervenção no parlamento. PAICV fala de falta de transparência

Segundo o parlamentar da maioria que sustenta o governo, o impacto desta medida será positiva em todos os sectores económicos do país.

“O acordo é sobremaneira importante. Abrir-se-ão portas de obter, a curto e a médio prazos, grandes resultados nos mais diversos sectores da economia, mormente no hub aéreo, baseado na ilha do Sal”, sustenta.

Em resposta, o deputado do PAICV, oposição, Nuías Silva sublinha que não há razões para festejar e justifica a sua posição com o que diz ser uma condução pouco transparente do processo.

“Este governo foi, desde o início, instransparente, opaco e com soluções atabalhoadas que têm prejudicado enormemente o país”, defende.

Por seu lado, o deputado da UCID João Santos Luís afirma que o governo tem hoje, com a assinatura do contrato, a possibilidade de resolver o problema da ligação entre as ilhas e sobretudo a retoma dos voos dos TACV para a ilha de São Vicente.

“Temos hoje a grande oportunidade de brindar os empresários dos diversos sectores da economia de São Vicente, São Nicolau e Santo Antão, e a população destas ilhas, em geral, com a possibilidade da retoma dos voos da Cabo Verde Airlines”, lembra.

Privatização da TACV assinada esta sexta-feira

O contrato de compra e venda de 51% das acções da TACV vai ser assinado esta sexta-feira, 1 de Março, entre o Governo e o parceiro estratégico Loftleidir Cabo Verde, anunciou ontem o executivo.

A proposta vinculativa para aquisição de 51% das acções da TACV foi submetida ao Governo a 27 de Julho de 2018, pela Loftleidir Icelandic, tendo posteriormente proposto utilizar como veículo de aquisição da referida participação a sua participada, a Loftlider Cabo Verde, algo que mereceu a "não objecção" do Governo.

A Loftleidir Cabo Verde é uma empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF e em 30% por empresários islandeses com experiência no sector da aviação.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,1 mar 2019 12:50

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  22 abr 2019 23:22

1

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.