​UCID classifica de “pesadelo” situação dos voos internacionais a partir de São Vicente

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,26 abr 2019 12:02

A UCID considera “um pesadelo” a situação dos transportes aéreos internacionais de e para São Vicente. O partido refere-se, em concreto, às ligações internacionais da Cabo Verde Airlines que estão suspensas desde Setembro de 2017, por decisão da nova gestão da empresa, “prejudicando os empresários e a população em geral”.

A questão esteve hoje em discussão no Parlamento, desta vez suscitada por uma declaração política dos democratas cristãos, apresentada pela deputada Dora Pires.

“A problemática do transporte aéreo de e para o exterior tem sido um pesadelo para os operadores económicos e para a população de forma geral”, afirma.

Para a UCID, a retoma dos voos da companhia aérea nacional a partir da ilha do Monte Cara deve ser uma decisão política, entendendo que a situação actual está a retirar os sanvicentinos a possibilidade de melhorar e contribuírem para a criação de riqueza nacional. A questão dos preços dos bilhetes de passagem a partir do Aeroporto Cesária Évora tem sido alvo de críticas, e não passa ao lado da declaração da terceira força política na casa parlamentar.

“Não se aceita e não se entende que em outras partes do território um bilhete de passagem para Portugal, por exemplo, custa 24 mil escudos, e a partir de São Vicente três a quatro vezes mais. Na nossa opinião há vários factores que influenciam essa situação, e que com vontade política e vontade clara daquilo que se quer para a ilha, será rapidamente ultrapassada. Apontamos aqui o custo do galão do combustível que é o dobro relativamente aos outros aeroportos”, entende.

Também o sector de transportes marítimos foi criticado pela UCID, que considera que a solução do executivo, através da concessão, tarda em mostrar resultados.

O PAICV subscreve a intervenção dos democratas cristãos, entendendo que os problemas que têm a ver com São Vicente têm sido ignorados pelo Governo. O parlamentar do maior partido da oposição, Manuel Inocêncio Sousa, entende que o executivo continua insensível à situação dos transportes.

“Apesar dos insistentes apelos dos deputados, da sociedade civil mindelense, para que o Governo resolva os problemas que bloqueiam o desenvolvimento da ilha, nomeadamente a questão dos transportes que é essencial, o Governo continua insensível a esta matéria, entende.

Do lado do MpD, a deputada Celeste Fonseca criticou o PAICV em relação ao seu posicionamento durante a discussão e aprovação da lei da regionalização, na última sessão, por entender que resolveria todos os problemas de São Vicente.

“Tivemos cá uma oportunidade de ouro de dar uma volta completa à situação de São Vicente e das outras ilhas, quando os senhores bloquearam a aprovação da lei que cria as regiões administrativas. Perderam esta oportunidade de fazer algo na prática para se resolver o problema de São Vicente. Agora vêm com cantilenas de problemas A, B ou C de que padece São Vicente”, diz.

“Governo está a dar um rumo à São Vicente”

O Governo, através do Ministro de Estado, entende que a declaração política da UCID está desfasada no tempo. Fernando Elísio Freire afirma que o executivo liderado por Ulisses Correia e Silva está a dar um rumo e consistência nas políticas públicas em São Vicente, e aponta vários projectos para a ilha.

“Nós estamos a fazer algo extraordinário em São Vicente. São Vicente tem um conjunto de bairros desordenados por falta de colaboração do Governo anterior. Este Governo está a requalificar os bairros em São Vicente, em articulação com a Câmara Municipal. É este Governo que está a materializar a vocação de São Vicente na sua relação com o mundo, criando, efectivamente, o Terminal de Cruzeiros. É este Governo que está a materializar o sonho de uma ligação rápida entre Mindelo e Baía das Gatas, e a cumprir a questão da requalificação de Baía das Gatas”, aponta.

O governante diz que os problemas de São Vicente são os mesmos das outras ilhas. Fernando Elísio freire diz que todo o país é tratado por igual, e refere ao programa de requalificação e reabilitação, dando vocação a cada localidade para poder participar no processo de desenvolvimento de Cabo Verde.  

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,26 abr 2019 12:02

Editado porAndre Amaral  em  16 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.