MCRR acusa Câmara da Praia de dar resposta "vaga e de má fé"

PorAndre Amaral,18 jun 2019 17:36

1

O Movimento Civil Comunidade Responsável (MCCR) reagiu, hoje, às declarações do vereador do ambiente da Câmara Municipal da Praia que acusou o Movimento de estar a fazer uma "campanha de inverdades com contornos políticos claros", depois da polémica sobre a captura e abate de cães de rua, na capital.

Num comunicado enviado à imprensa o MCCR acusou António Lopes da Silva de ter dado "uma resposta vaga e de má fé" e de não "resolver a situação que por estes dias tem indignado a opinião pública e posto Cabo Verde, pelas piores razões, em manchetes nacionais e internacionais".

"Em nenhum momento a CM Praia manifestou desejo de um diálogo profícuo com o MCCR, continuando a desconsiderar a nossa acção; tão pouco reconheceu que deve abandonar o método do abate dos animais imediatamente, contrariando todas as missivas que já recebeu estes dias, de várias entidades internacionais que condenam esta prática".

No comunicado, o MCCR recorda que o acordo assinado entre o movimento e a Câmara Municipal deixou de ser cumprido pela autarquia em Julho de 2018. 

"O vereador António Lopes da Silva ficou de convocar uma reunião técnica para acordar um plano de trabalho. Reunião essa que até hoje não aconteceu apesar de várias insistências do MCCR", diz o movimento. 

"A matança massiva dos cães continuou com extrema crueldade", prossegue.

O diálogo entre as duas entidades, diz o MCCR, é inexistente.  "A Câmara Municipal, na pessoa do Sr. Vereador, não manifesta qualquer interesse no trabalho da MCCR, tem-nos apelidado de “Comunidade Irresponsável” e ignorado todo o esforço de centenas de cidadãos profundamente activos e engajados nesta causa e que, juntos seriam uma base de apoio determinante para resolver, de forma ética e no respeito pelos animais este problema. O MCCR apresentou também um sistema de registo electrónico em Setembro de 2018 que disponibilizou à CMP a título gracioso, alertando que haveria necessidade de fazer parceria com a Ordem de Veterinários e que o registo teria de ser direito exclusivo dos veterinários. A CMP nunca se pronunciou sobre o assunto".

De recordar que esta segunda-feira, o vereador do ambiente na Câmara Municipal da Praia, António Lopes da Silva acusou o MCCR de estar a realizar "campanha de inverdades" que tem "contornos políticos claros" e cujo objectivo é "denegrir a imagem do presidente da Câmara e dos seus funcionários". "Estamos próximos das eleições", reforçou dizendo ainda que se "sabe bem quem está ligado a esta campanha".

A polémica foi criada pela denuncia feita pelo Movimento Civil Comunidades Responsáveis sobre a forma como a autarquia recolhe e abate os cães de rua que vivem na cidade da Praia. Um método que o Movimento considera tortuoso e cruel e que implica a electrocussão dos animais, mas que a autarquia diz ser aprovado pela Organização Mundial de Saúde Animal.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,18 jun 2019 17:36

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  14 nov 2019 23:21

1

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.