Entrada de navios de recreio sem inspecção sanitária preocupa autoridades

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,13 mar 2020 15:18

Elísio Silva
Elísio Silva

A Delegacia de Saúde de São Vicente está preocupada com a entrada de navios de recreio na marina do Mindelo sem qualquer tipo de inspecção sanitária. A preocupação foi manifestada ao início da tarde desta sexta-feira, aos jornalistas, pelo delegado de saúde Elísio Silva, à margem da apresentação do plano nacional de contingência para prevenção e controlo do novo coronavírus aos parceiros locais.

O responsável de saúde alerta que sem uma vigilância, à semelhança do que acontece nos portos e aeroportos, a entrada de casos do novo coronavírus pode passar despercebida.

“Qualquer navio que entra no porto passa por uma inspecção sanitária, mas os barcos de recreio que entram na marina não. E neles podem vir pessoas com Covid-19 e passarem despercebidas na entrada”, aponta.

Elísio Silva refere que a falta de inspecção às embarcações que entram na marina do Mindelo é antiga, mas que a situação tornou-se ainda mais preocupante com a pandemia do Covid-19. No sentido de mudar o cenário, a Delegacia de Saúde já tem uma reunião marcada para a próxima segunda-feira com a Polícia Marítima e com os responsáveis da marina, para que o controlo possa começar o mais urgente possível.

“Vamos começar a fazer inspecção na marina, independentemente de onde vêm as embarcações. Na segunda-feira temos uma reunião urgente às 9 horas com todos os intervenientes para podermos começar a intervir por que a situação nos preocupa”, garante.

A nível de casos suspeitos, Elísio Silva confirma o já conhecido que está em isolamento no Hospital Baptista de Sousa, a aguardar o resultado das análises. A unidade hospitalar tem, neste momento, uma capacidade de isolamento de 12 possíveis casos do novo coronavírus.

O delegado esclarece que dependendo do evoluir da situação há vários cenários já identificados.

“Dentro do hospital temos o primeiro cenário: todos os casos suspeitos são internados e são feitos exames complementares e recolhidas amostras para enviar [para Portugal]. O cenário B: podemos ampliar o espaço mesmo dentro do hospital para atendimento de casos suspeitos, e mesmo nos quartos particulares temos condições de isolar algum caso positivo. Os casos suspeitos também podem fazer os exames complementares e ficarem em suas casas a aguardar. Também já criamos um espaço no PMI na Bela Vista onde podemos colocar os casos suspeitos, sendo que os confirmados e mais graves ficam no hospital”.

Elísio Silva realça que há equipas de profissionais de saúde no porto e aeroporto para fazer inspecção sanitária a todas as pessoas que entram em São Vicente.

Relativamente aos bombeiros, garante que a corporação já tem “todos os equipamentos de protecção individual” e têm disponível uma ambulância cedida pelo hospital, caso tenham que transportar casos suspeitos de coronavírus.

Em Cabo Verde foram identificados hoje três novos casos suspeitos na Praia, na Boa Vista e em Santo Antão.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detectado em Dezembro, na China, e já provocou mais de 5.100 mortos em todo o mundo. O número de infectados ultrapassa as 139 mil pessoas, com casos registados em cerca de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados. Mais de 70.700 pessoas já recuperaram da doença.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,13 mar 2020 15:18

Editado porSara Almeida  em  7 jul 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.