São Vicente com 48 pessoas em quarentena. Nenhum suspeito

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,30 mar 2020 14:00

São Vicente tem neste momento 48 pessoas em quarentena domiciliar devido à pandemia de COVID-19. Não há nenhum caso suspeito na ilha, reafirmou hoje o delegado de saúde local.

Das pessoas em quarentena, cerca de 21 são nacionais provenientes da ilha da Boa Vista, onde se registou o primeiro caso confirmado em Cabo Verde, nove são da Praia, entre outros do Senegal, da Alemanha, da Bélgica e da França que entraram no país antes da suspensão dos voos internacionais. Informação avançada esta manhã, em entrevista à Rádio Morabeza, pelo delegado de Saúde da ilha do Monte Cara, Elísio Silva.

“A maior parte das pessoas em quarentena, excepto os que chegaram da Praia, conclui esta semana o período de quarentena. Isso que dizer que estamos numa semana em que pedimos à população para manter as medidas decretadas desde o início. Neste momento estamos em estado de emergência e a principal medida é estar dentro de casa. E sempre que tivermos que sair de casa devemos lavar as mãos com água e sabão antes e logo que entrarmos. Isto para evitar levar o vírus para a casa e para o trabalho”, recomenda.

Desde o início da pandemia já foram realizados quatro testes de COVID-19 em São Vicente, mas todos deram negativo. Elísio Silva explica que as pessoas em quarentena são seguidas constantemente pelas equipas disponíveis nos centros de saúde das suas respectivas zonas.

“Praticamente todas as comunidades têm um centro de saúde que segue as pessoas, e já há uma empatia entre médico, o paciente e a população. Em todos os centros de saúde temos enfermeiros, assistente social, nutricionista, psicólogo – uma equipa completa para seguir a nossa população”, realça.

Com a COVID-19, as estruturas de saúde tiveram que se reorganizar e adaptar o seu funcionamento à realidade actual. Em São Vicente, o delegado de saúde aponta, por exemplo, que as análises não urgentes foram remarcadas para uma nova data, os doentes crónicos estão a ser seguidos nos centros de saúde e em casa.

O responsável recomenda igualmente que em caso de consultas ou situações espontâneas sejam priorizados os centros de saúde mais próximos para evitar aglomeração de pessoas na Delegacia de Saúde, no Banco de Urgência e na Pediatria do Hospital Baptista de Sousa.

“Banco de urgência, no momento actual, não é o melhor local para ir. Sempre que possível, as pessoas devem fazer as suas consultas nos centros de saúde e, conforme a situação, o médico encaminha para consultas de especialidades de urgência no hospital”, explica.

Quanto às consultas de especialidade, Elísio Silva esclarece que apenas as urgentes estão a ser realizadas, sendo que as restantes estão a ser reprogramadas.

Em comunicado emitido na semana passada, a direcção do Hospital Baptista de Sousa (HBS) deu conta da suspensão das intervenções cirúrgicas electivas ou programadas, excepto as consideradas clinicamente prioritárias, mediante discussão clínica.

Também anunciou a suspensão de todos os procedimentos de diagnósticos e terapêuticos não prioritários, como as análises clínicas e as radiológicas, as endoscopias, a fisioterapia, a fonoaudiologia e os curativos simples no Banco de Tratamento.

As decisões foram tomadas no âmbito das medidas de prevenção e redução do risco de transmissão do novo coronavírus, divulgadas pelo Governo.

No sábado, o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, declarou a situação de emergência no país por 20 dias, uma medida para intensificar o combate ao novo coronavírus, que regista seis casos, sendo quatro na ilha da Boa Vista e dois na cidade da Praia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,30 mar 2020 14:00

Editado porSara Almeida  em  6 ago 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.