Recrutados 179 enfermeiros para reforçar o sistema nacional de saúde

PorSheilla Ribeiro,3 abr 2020 12:19

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, anunciou hoje que foram recrutados cerca de 179 enfermeiros que vão reforçar o sistema nacional de saúde, em todos os concelhos do país, para o combate à COVID-19.

O Chefe do governo, que falava durante uma conversa aberta com os profissionais de saúde, garantiu que está acautelada a manutenção integral da remuneração dos profissionais da área e o seguro de vida durante esta fase.

O governante salientou que as medidas até agora adoptadas, não significam que não possa haver mais casos positivos. Mas, apontou, que haveria mais se não tivessem sido tomadas tais medidas preventivas, que “reduzem” os riscos de contágio de propagação e “tornam melhor” a capacidade de resposta do sistema nacional de saúde.

“Temos tido contactos com alguns países, como a China e Cuba, no sentido de nos disponibilizarem os especialistas que necessitamos neste combate. Os profissionais da saúde estão na linha de frente do embate e do combate nesta guerra e nesta luta”, informou.

Para o primeiro-ministro deve-se reconhecer cada vez mais o papel dos profissionais de saúde, por serem “a linha da exposição”.

“Pode parecer que não é fácil ficar em casa, mas é muito mais fácil ficar em casa do que estarmos expostos a situações de contágio, de propagação. Este é um combate de todos e eu sei, nós sabemos que os profissionais de saúde estão em acção e prontidão, desejo a todos muita força, estaremos sempre disponíveis para que a vossa missão seja realizada da melhor forma possível”, distinguiu.

Por seu turno, o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, comunicou que foi emitido um despacho junto do Vice-Primeiro-ministro e aprovado pelo Primeiro-ministro, para garantir o vencimento dos profissionais da saúde.

“Para que não haja qualquer interferência no valor final do vencimento, assim como estamos a trabalhar um plano de seguros para todos os profissionais da saúde, sobretudo durante esse período epidemia”, frisou.

Arlindo do Rosário enfatizou que a epidemia está no início e que é necessário redobrar os esforços, estar atento às estratégias que deverão ser seguidas em cada concelho e em cada ilha.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,3 abr 2020 12:19

Editado porSara Almeida  em  10 jan 2021 23:20

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.