COVID-19: BCV diz que idas ao banco só "quando estritamente indispensável "

PorAndre Amaral,6 mai 2020 16:27

O Banco de Cabo Verde (BCV) entende que alargamento do horário de funcionamento dos bancos até às 15h00 não foi suficiente para evitar aglomerações de pessoas à porta das agências bancárias e aconselha utilização dos canais digitais.

Num comunicado emitido hoje, o BCV diz que tem "sugerido aos bancos comerciais que aconselhem os seus clientes a utilizarem os canais digitais para a realização das operações bancárias, por fazer todo sentido à luz das orientações de distanciamento social e isolamento preventivo". Isso, no entanto, não tem impedido que se gerem aglomerações de pessoas à porta dos bancos comerciais e o alargamento do horário de funcionamento também parece não ter sido solução.

Assim, neste comunicado, o BCV vem estabelecer novas regras para o atendimento ao público por parte das entidades bancárias.

"Os clientes só devem dirigir-se aos bancos por questões de extrema necessidade", defende o BCV que reforça que deste modo, "face à persistência de aglomerações em frente das agências bancárias, entende o BCV que medidas adicionais devem ser tomadas para a salvaguarda da saúde dos colaboradores e dos clientes bancários" o que leva o banco central a tomar novas medidas que devem ser adoptadas durante o estado de emergência e enquanto não houver o levantamento de medidas restritivas de circulação.

Como se lê no comunicado do banco central, estas medidas passam pela utilização privilegiada dos canais digitais que os bancos disponibilizam aos seus clientes, devendo as deslocações às agências e aos balcões bancários "resumir-se a serviços que não podem ser prestados via canais digitais, nomeadamente envio e recepção de transferências rápidas de dinheiro efectuados através de plataformas (Western Union, MoneyGram, Wari, etc.), bem como depósitos de montantes na própria conta do cliente" que só devem ser feitos ao balcão por "clientes que pretendam depositar dinheiro em conta diversa e que não disponham de cartão bancário ou de canais digitais internet banking (home banking) para transferir o respectivo montante". E "apenas nos casos de urgência imperiosa".

Os levantamentos de dinheiro passam, também, a estar condicionados. O comunicado do BCV diz que estes "só podem ser efectuados para valores superiores a 20.000 ECV (vinte mil escudos), exceptuando para os clientes que não dispõem de cartão bancário (cartão vint4)".

Outra medida passa pela suspensão dos tarifários interbancários nas transacções efectuadas "através de internet banking durante o período em que vigorar o estado de emergência, bem assim enquanto perdurarem as medidas restritivas de circulação", tudo para que os bancos incentivem o uso de canais digitais.

Já o número de atendimentos diários por agência "deve ser limitado pelos bancos, de acordo com o plano de contingência aprovado". "Para tanto, o número máximo de senhas deve ser distribuído na parte da manhã", acrescenta o BCV.

A terminar, o BCV pede aos bancos para se organizarem "internamente de modo a agilizar o atendimento dos clientes, reduzindo ao máximo o tempo de espera" dos cliente que que aguardam na área exterior onde devem manter "uma distância de pelo menos 2 (dois) metros entre si". Este distanciamento deve ser assegurado pelos serviços de segurança privada dos bancos que, em caso de necessidade, devem "recorrer às autoridades policiais para que se cumpram esta e outras instruções que visam reduzir o risco de contágio de COVID – 19".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,6 mai 2020 16:27

Editado porSara Almeida  em  14 fev 2021 23:20

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.