HAN preocupado com casos de agressão física em pleno estado de emergência

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,15 mai 2020 16:23

O director clínico do Hospital Agostinho Neto manifestou-se hoje “preocupado” com o registo de atendimento de pessoas vítimas de agressão física, por arma branca e de fogo, e vítimas de acidentes de viação que deram entrada nos últimos dias no hospital central.

Victor da Costa transmitiu essa inquietação durante uma conferência de imprensa sobre o ponto de situação da pandemia da COVID-19 no Hospital Agostinho Neto (HAN), tendo o mesmo garantido que todos os serviços hospitalares estão a funcionar com normalidade.

Segundo este responsável, estão criadas todas as condições de protecção nesse momento de pandemia para os profissionais de saúde e pacientes, e, por isso, apela à tranquilidade daqueles que recorrem aos serviços de saúde relativamente à capacidade do hospital central em dar respostas às demandas.

No entanto, o médico-cirurgião diz-se preocupado com o registo de atendimento de pessoas vítimas de agressão física e acidentes de viação que deram entrada nos últimos dias, pelo que pede a população para “ajudar um pouco”.

Relativamente aos doentes infectados pelo novo coronavírus, Victor Costa avançou que neste momento estão internados oito pacientes no espaço criado para receber pessoas com sintomas da doença e que a situação clínica desses doentes é “estável”.

O director clínico voltou a manifestar-se preocupado com a divulgação nas redes socias de notícias falsas sobre a situação dos doentes internados, apelando à não disseminação de informações sobre o estado de saúde dos doentes com relatos até de falecimento.

“Aconteceu uma primeira vez, aconteceu pela segunda vez e ontem também aconteceu, duas filhas do doente chegaram cá apavoradas, familiares em casa chorando porque o homem faleceu, quando o paciente encontra-se até, neste momento, estável”, indicou.

No seu entender, essas situações têm repercussão psicológica negativa na vida dos familiares, pelo que advoga que se as pessoas “não conseguem contribuir no processo de internamento dos doentes e luta contra a COVID-19, que não atrapalhem”.

Cabo Verde regista 326 casos de COVID-19 acumulados, distribuídos pelas ilhas de Santiago (267, sendo, 260 na Praia, dois no Tarrafal, três em São Domingos e um em Santa Cruz), da Boa Vista (56) e de São Vicente (três).

Destes casos testados positivos, há a registar 67 recuperados e duas mortes – um cidadão inglês de 62 anos que se encontrava de férias na ilha da Boa Vista, e uma idosa de mais de 90 anos do concelho da Praia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,15 mai 2020 16:23

Editado porSara Almeida  em  29 out 2020 23:20

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.