COVID-19 Santiago teve menos 35 casos na última semana

PorAndre Amaral,25 mai 2020 18:25

Da passada segunda-feira para hoje a ilha de Santiago registou menos 35 casos de COVID-19, passando de 76 para 41.

Esta é a terceira semana em que as autoridades de saúde registam uma queda no número de casos activos de COVID-19 em Santiago. Já no que respeita à Praia, a descida foi de 31 casos, passando de 72 para 41 casos registados numa semana.

Fazendo o balanço desta última semana epidemiológica, Artur Correia informou que, a nível nacional, "já foram realizado mais de 3500 testes rápidos" e também mais de "3500 testes PCR".

Quanto a casos activos, a que não se juntam os dez casos registados hoje, o Director Nacional apontou para a existência de "222 casos activos e 155 casos recuperados" e acrescentou que entre os dias 19 e 23 de Maio o valor de reprodução do coronavírus "esteve abaixo de 1" o que, defendeu Artur Correia, significa que há "sinais de abrandamento ou estagnação da doença".

Já no que respeita ao dia de hoje, além dos dez casos confirmados, foram ainda registados seis casos suspeitos: "3 na Praia, 2 no Tarrafal e um na Boa Vista".

Vila Nova, Ponta d'Água e Achada Santo António continuam a ser os bairros com mais casos registados até ao momento.

Com o aproximar do fim do Estado de Emergência e com o regresso ainda que gradual da actividade económica e também dos transportes públicos, o Director Nacional de Saúde esclareceu que "desde o início actuámos sempre com muita proactividade. Tomamos medidas enérgicas e eficazes que nos têm permitido controlar a situação". Por isso, acrescentou Artur Correia, "preventivamente e planificando todas as fases, nomeadamente o pós-confinamento, há um conjunto de medidas" decididas pelo governo que vão "nortear todas as actividades sociais e económicas a nível da sociedade cabo-verdiano".

Questionado sobre se será normal verificar-se um possível aumento do número de casos, Artur Correia, explicou que as autoridades de saúde não estão à espera "de um número de casos. Esperamos que as medidas que já foram tomadas e as outras que vão ser tomadas para permitir que as medidas de prevenção e controlo sejam tomadas por parte da população, precisamente para impedir um aumento brusco do número de casos", concluiu.

Já sobre o inquérito ao Hospital Baptista de Sousa, ordenado por causa do caso da paciente chinesa, Artur Correia apontou que é a entidade que regula o sector da saúde, a "ERIS, que está a conduzir o processo" e que a Direcção Nacional de Saúde não recebeu ainda informações sobre a sua evolução.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,25 mai 2020 18:25

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  11 ago 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.