Duplicam os casos de COVID-19 no Fogo. São já 22 as pessoas infectadas

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,25 ago 2020 12:21

O hospital regional São Francisco de Assis foi notificado hoje da confirmação de mais 11 casos positivos nos testes PCR, elevando para 22 o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (covid-19) na ilha do Fogo.

Numa declaração à imprensa na manhã de hoje, o director do hospital, Evandro Monteiro, confirmou a notificação de mais 11 novos casos positivos, somando assim um total de 22 casos activos num período de uma semana e todos localizados na parte sul do município dos Mosteiros (Relva, Corvo e Achada Grande) com excepção de um caso de Queimada, mas que teve ligação directa com a parte sul dos Mosteiros.

Dos 22 casos positivos já diagnosticados, aquilo que chamou a atenção das autoridades sanitárias, nesta primeira fase, é que cerca de metade (nove) dos casos são pessoas com menos de 18 anos e deste total, um percentual significativo são crianças com idade compreendidas entre quatro a 12 anos.

Quatro casos são de pessoas com idade que oscilam entre 20 a 60 anos, sete de pessoas com mais de 60 e dois casos de pessoas com mais de 90 anos, sendo que mais de metade dos casos positivos são pessoas do sexo masculino.

A percentagem significativa de crianças, no dizer do director do hospital, leva as autoridades sanitárias a fazerem uma reflexão sobre muitos aspectos, porque, explicou, isto demonstra que todas as regras que desde há muito tempo estão a tentar colocar na prática não está a ser cumprida adequadamente, assim como a necessidade de reforçar o cumprimento das mesmas para ultrapassar a situação de melhor forma possível.

Os 22 casos positivos confirmados foram encontrados na análise de aproximadamente 200 amostras que foram recolhidas e enviadas para o laboratório de virologia na cidade da Praia num espaço de uma semana, mas Evandro Monteiro salienta que os dados demonstram que o vírus estava a circular na ilha há algumas semanas ou mesmo meses.

Os casos mais graves e com sintomatologias importantes estão hospitalizados no espaço de isolamento para covid do hospital São Francisco e neste momento estão quatro pacientes, sendo que os dois primeiros casos, duas mulheres, já têm critérios de alta e já foi analisado com o delegado de saúde a possibilidade da transferência das mesmas para a comunidade onde irão ter seguimento apertado durante mais uma semana.

“Dos casos hospitalizados temos um paciente com alguma gravidade e que requer cuidados especiais. É um homem de 67 anos, hipertenso, diabético, com híper-colesteronomia e com morbidades importantes”, disse o director do hospital, indicando que do ponto de vista clínico está estável.

Segundo o mesmo, o paciente continua a usar oxigénio e em “quantidades importantes” e com recursos de aparelho que ajude a melhorar a perfusão de oxigênio, estando o corpo clínico do hospital a analisar com o colectivo, especialistas e técnicos, mas também analisar a eventualidade de discutir com especialistas nacionais a necessidade de ventilação assistida com entubação.

O director do hospital avança que o número é significativo, mas significa também muita coisa, observando que do ponto de vista investigativo demonstra que as autoridades sanitárias fizeram um trabalho adequado de pesquisa e conseguiram identificar rapidamente os contactos e o foco mais importante, envolvendo o contexto familiar.

As autoridades vão prosseguir com o processo investigativo e já estão no terreno a identificar os contactos dos novos casos positivos e o isolamento dos diagnósticos, quer institucional como, possivelmente, domiciliar.

“Temos um foco principal na zona sul dos Mosteiros pelo que temos que controlar e trabalhar nessas zonas, e, há vários cenários que temos de discutir com as autoridades locais e nacionais no sentido de criarmos mecanismos de conter o vírus”, afirmou Evandro Monteiro, indicando que as medidas serão determinadas pelas autoridades com responsabilidade nesta matéria mediante informações disponibilizadas e que podem passar pelo isolamento das zonas do sul do município dos Mosteiros.

Nos municípios de São Filipe e de Santa Catarina, onde ainda não foram registados casos positivos, também está a decorrer o trabalho investigativo e, como exemplo, apontou que na segunda-feira uma equipa deslocou-se a Chã das Caldeiras para mapear os contactos de um caso positivo que esteve na localidade, mas que as amostras enviadas nenhuma delas deu positivo.

Evandro Monteiro indicou que ainda há amostras pendentes para serem analisadas e vão recolher mais amostras, quer em Chã das Caldeiras, mas sobretudo nas localidades de Relva, Achada Grande e Corvo (sul dos Mosteiros) e noutras localidades em que há contactos dos casos positivos.

Nos Mosteiros ficam os casos assintomáticos ou com sintomas leves, mas os pacientes com morbidades associadas e com sintomatologias mais agravados são encaminhados para o hospital, conforme o protocolo.

Adiantou ainda que Mosteiros dispõe neste momento de capacidade para receber quatro pessoas com sintomas leves e/ou moderadas e 22 camas para pessoas assintomáticas, podendo ser aumentada para 24 camas, mas há a possibilidade de isolamento domiciliar e de colocação de outros pacientes na localidade de Almada em São Filipe.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,25 ago 2020 12:21

Editado porSara Almeida  em  19 set 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.