MAA alerta para possibilidade de eclosão de gafanhotos e ataques de percevejos verdes

PorSheilla Ribeiro*,16 jul 2022 8:27

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) alertou esta segunda-feira que há possibilidade de “eclosões significativas” de gafanhotos nas ilhas de Santiago, Maio e Boa Vista, uma vez que com as chuvas registadas no final do mês passado foram registadas pequenas eclosões em alguns concelhos. Espera-se igualmente ataques importantes de percevejos verdes em Santiago e no Fogo.

As informações foram avançadas durante uma conferência de imprensa do MAA, sobre os preparativos para a campanha agrícola para o período 2022-2023.

Conforme a directora geral da Agricultura, Silvicultura e Pecuária, Eneida Rodrigues, com base no inventário da campanha anterior, foram definidas as necessidades e enviadas, a cada uma das delegações, os materiais e equipamentos como pulverizadores, equipamentos de protecção individual - EPIs e pesticidas para esta campanha.

Quanto ao controlo das principais pragas de culturas pluviais, a responsável avançou que à semelhança dos anos anteriores foi elaborada uma estratégia para a implementação da campanha fitossanitária 2022-2023 partilhada com as delegações.

“Acredita-se que este ano haverá eclosões significativas do gafanhoto, nas ilhas de Santiago (Ribeira Grande, São Domingos, Santa Cruz e Santa Catarina), Maio e Boa Vista, tendo em conta a população anormal dessa praga em 2021. Com as chuvas registadas no final do mês passado, as delegações iniciaram as prospecções, tendo-se registado uma pequena eclosão no concelho de Santa Cruz, Ribeira de Monte Negro, que está sendo monitorizada. Espera-se igualmente ataques importantes do percevejo verde em Santiago e no Fogo”, avançou.

Para fazer face aos gafanhotos, Eneida Rodrigues informou que será privilegiado o tratamento com Novacrid, que é um pesticida biológico de modo a preservar o ambiente.

Quanto aos focos do percevejo verde sobre as culturas pluviais, serão disponibilizadas aos agricultores, através das delegações, caldas à base do inseticida Fenitrothion EC 50, para intervenções localizadas, sempre que se justificar.

O “tratamento generalizado será evitado para não comprometer o controlo biológico da lagarta-do-cartucho do milho com recurso ao parasita Trichogramma pretiosum”, assegurou.

Em relação à lagarta-do-cartucho a directora geral da Agricultura afirmou que o cenário é de difícil previsibilidade.

“Entretanto para fazer face aos focos, uma rede de armadilhas com feromona sexual será activada para detecção precoce dos primeiros aparecimentos, que servirão de orientação para os locais de libertação do parasita de ovo dessa praga, o Trichogramma pretiosum, cujas unidades de multiplicação no Fogo, Santiago e em Santo Antão, estão a cargo do INIDA”, anunciou.

Na mesma ocasião, a responsável garantiu que o INIDA dispõe de cinco quilogramas de ovos de Trichogramma, quantidade suficiente para tratar os cinco mil hectares de terreno infestados.

“Paralelamente à libertação do parasita, as delegações poderão apoiar os agricultores na aplicação do Rapax AS, insecticida biológico à base da bactéria Bacillus thuringiensis, que se encontra nos seus respectivos armazéns”, enunciou.

De 30 de Maio a 3 de Junho o MAA realizou uma sessão de capacitação de técnicos de todas as delegações, a fim de melhorar o desempenho na implementação da campanha fitossanitária.

Sementes

No que diz respeito às sementes, Eneida Rodrigues, declarou que dos levantamentos feitos pelas Delegações junto dos produtores a nível nacional, conseguiu-se apurar que estão disponíveis para venda 36.440 litros de milho, 2.583 de feijão pedra, 3.782 de bongolon, 520 feijão sapatinha, 995 de feijão congo, 1.403 de feijão fava e 447 de mancarra.

“Considerando a falta de sementes e visando apoiar os criadores que vêm sofrendo com sucessivas secas e aumento dos preços dos produtos, o Ministério está em processo de aquisição de sementes de sequeiro nos produtores locais, que serão colocadas à disposição dos agricultores que não dispõem deste material vegetal, a preço promocional”, apontou.

Entretanto, o MAA está no processo de importação de sementes, sobretudo de feijões, para complementar as da produção nacional que, conforme disse, acusa ser insuficiente para fazer face às demandas da campanha.

A chegada dessas sementes está prevista para final deste mês de Julho. Na mesma ocasião, a responsável anunciou que a campanha agrícola para o período 2022-2023 está orçada em cerca de 65 mil contos, valor suportado integralmente pelo Ministério.

*Com Dulcina Mendes

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1076 de 13 de Julho de 2022. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro*,16 jul 2022 8:27

Editado porFretson Rocha  em  1 out 2022 23:28

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.