​Governo anuncia para breve plano para desenvolvimento das pescas

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,29 out 2019 14:45

O Governo aprova, brevemente, um plano para o desenvolvimento da pesca artesanal e semi-industrial. O projecto inclui, nomeadamente, o apoio aos operadores do sector na aquisição de embarcações para que os armadores possam aproveitar o potencial da vasta Zona Económica Exclusiva (ZEE), garantiu hoje o primeiro-ministro.

O anúncio foi feito por Ulisses Correia e Silva, durante o debate parlamentar sobre “Mudanças climáticas e os choques externo”, quando questionado pelos partidos da oposição a propósito das medidas para fazer face a fraca captura denunciada pelos armadores.

“A pesca é um dos sectores onde é preciso fazer apostas fortes, porque as alterações climáticas podem ter impacto nas pescas. Estamos a fazer um projecto de rejeição de areia mas também projectos de apoio à pesca semi-industrial para que os nossos pescadores possam ter condições de ir para além daquilo que vai a pesca artesanal. Há um plano que vai ser aprovado brevemente, quer para o desenvolvimento da pesca artesanal, quer da pesca semi-industrial, apoiando até na aquisição das embarcações para o efeito”, garante.

A Associação dos Armadores de Pesca (APESC) pediu ontem ao Governo a adopção urgente de um plano de mitigação para o sector. Em causa, a baixa captura registada este ano, com uma redução de 72% em relação ao mesmo período do ano passado. Em conferência de imprensa, em São Vicente, o presidente da APESC, João Lima, denunciou uma situação crítica, com os operadores a não conseguirem assumir as suas responsabilidades, e apresentou uma série de medidas para mitigar a situação.

Ulisses Correia e Silva diz que o assunto está em análise para que se possam encontrar as melhores soluções.

“As preocupações da Associação dos Armadores de Pesca estão a ser tratadas com o Governo para procurar as melhores soluções. Estamos a apostar fortemente na pesca artesanal, com 115 mil contos em investimentos no próximo ano. Operacionalizámos o Fundo Autónomo de Pesca, precisamente, para ser um instrumento que permita fazer intervenções de financiamento, assim como uma atenção especial à pesca semi-industrial, relativamente a equipamento, embarcações que possam fazer pesca fora do quadro de limitação que a pesca artesanal hoje tem”, aponta.

As declarações do chefe do Governo surgiram na sequência de questões colocadas pelos deputados Moisés Borges, do PAICV, e António Monteiro, da UCID.  

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,29 out 2019 14:45

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  15 nov 2019 8:19

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.