PAICV marca eleições internas para 22 de Dezembro

PorExpresso das Ilhas, Lusa,10 nov 2019 13:33

​O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) vai realizar eleições directas para escolher o novo presidente em 22 de Dezembro, enquanto o congresso será no próximo ano, deliberou este domingo, o Conselho Nacional.

O deputado e porta-voz da reunião do conselho nacional do PAICV, Manuel Inocêncio Sousa, informou que as eleições internas foram marcadas para 22 de Dezembro, enquanto o XVI Congresso vai acontecer entre 31 de Janeiro e 02 de Fevereiro de 2020.

O conselho nacional do PAICV, cuja reunião terminou hoje, fixou ainda em 364 o número de delegados ao congresso do próximo ano, que irá decorrer na cidade da Praia e vai eleger os seus novos membros, avançou.

Para as eleições internas do PAICV, até agora mostraram disponibilidade para ir a votos como candidatos o deputado José Sanches, eleito pelo círculo eleitoral de Santiago Norte, e a actual líder do partido, Janira Hopffer Almada, eleita pelo círculo eleitoral de Santiago Sul.

O conselho nacional do PAICV abordou ainda a agenda autárquica para 2020, onde foi definido, segundo o porta-voz, que o partido pretende "melhorar a sua representação" no poder autárquico, tendo em conta que nas eleições de 2016 venceram apenas duas câmaras municipais (Santa Cruz, em Santiago, e Santa Catarina, no Fogo).

Segundo Manuel Inocêncio Sousa, este órgão do maior partido da oposição cabo-verdiana debruçou-se igualmente sobre a situação política, económico e social de Cabo Verde, tendo concluído que "o país não está bem" e que a governação "tem falhado" relativamente aos principais sectores.

O porta-voz destacou o sector dos transportes, salientando que o país está "à deriva", bem como a segurança, que constitui "uma grande preocupação" de todos os cabo-verdianos, particularmente os residentes na cidade da Praia.

"O Governo insiste em responsabilizar a oposição, dizendo que está a fazer alarme relativamente a essa matéria, e em responsabilizar a imprensa, dizendo que está a transmitir uma ideia exagerada. Pensamos que o Governo deve encarar com objectividade e com medidas sérias a situação que nós temos", apelou.

O deputado afirmou que o partido continua disponível para contribuir com "medidas de fundo" e "entendimentos" com o Governo para melhorar a situação de segurança no país.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,10 nov 2019 13:33

Editado porSara Almeida  em  18 nov 2019 12:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.